Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

De ‘Katla’ a ‘Borgen’, 5 séries nórdicas da Netflix que valem a maratona

De thrillers a tramas políticas e pós-apocalípticas, produções do Norte da Europa têm ganhado cada vez mais espaço na plataforma de streaming

Por Amanda Capuano 8 jul 2021, 10h56

Localizados no extremo Norte da Europa, os países nórdicos são conhecidos pelos altos índices de desenvolvimento humano e pelas paisagens geladas de tirar o fôlego. Além de cenários inóspitos propícios a thrillers criminais, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Islândia e Noruega também abrigam uma cultura rica em misticismo, que permeia as produções audiovisuais locais com lendas e deuses às vezes desconhecidos dos brasileiros. O caldo cultural, completado por idiomas estranhos aos nossos ouvidos, chamou a atenção da Netflix, que passou a investir em séries nórdicas das mais variadas temáticas – e quase sempre de excelente qualidade. Para ajudar o leitor a explorar esse território instigante, VEJA relacionou cinco séries nórdicas que vale a pena conferir no streaming:

Katla, Islândia

Cena de Katla, série islandesa da Netflix
Cena de Katla, série islandesa da Netflix Reprodução/Netflix

Última adição da Netflix à seara nórdica, Katla e se passa na bucólica e gelada Islândia, e lida com as intempéries da erupção violenta do vulcão que batiza a série. Com as fronteiras fechadas para o resto do país, os moradores da cidade afetada pelo desastre são surpreendidos quando uma mulher coberta por cinzas da cabeça aos pés caminha para fora de uma geleira. Ela alega se chamar Gunnhild e trabalhar em um hotel da região, mas o registro mais recente do nome é de vinte anos antes – e a moça não envelheceu nem um dia sequer. A ela juntam-se outras figuras desaparecidas que voltam ao convívio dos entes queridos também cobertos em cinza, e sem qualquer memória sobre como foram parar ali. Unindo ficção científica e misticismo local, a série se apoia em uma narrativa fantasiosa para construir um mistério de cozimento lento que entrega uma mensagem sensível sobre o luto humano.

Borgen, Dinamarca

Borgen
Cena de Borgen, série política dinamarquesa Reprodução/Netflix

Não é raro que o propalado welfare state dos países nórdicos seja apontado como exemplo de política bem-sucedida e ilibada. Em Borgen, porém, os bastidores do poder dinamarquês ganham os contornos cinzentos de uma House of Cards, em uma trama intrincada de alianças e interesses. A série, originalmente produzida pela emissora pública da Dinamarca entre 2010 e 2013, chegou à Netflix recentemente, e ganhará nova temporada em 2022. O enredo acompanha Birgitte Nyborg (Sidse Babett Knudsen), que assume o governo depois que o primeiro-ministro anterior renuncia às vésperas da eleição, em função de um escândalo. Sem muita experiência no cargo, Birgitte precisa aprender a jogar o jogo do Parlamento para exercer a liderança recém-conquistada.

Califado, Suécia

Continua após a publicidade

Califado
Netflix/Divulgação

Com um pé na Escandinávia e outro no Oriente Médio, a série sueca narra a história de Fatima, uma policial que decide seguir pistas sobre um atentado do Estado Islâmico que aconteceu no país nórdico. Durante a investigação, a detetive chega até Pervin, uma jovem sueca de origem turca que foi aliciada pela organização e se mudou para Raqqa, na Síria, mas passa a agir como informante em troca de ajuda para escapar das garras da sharia, a “lei de Deus”, que dita as regras na região. Enquanto isso, outras duas adolescentes suecas são seduzidas pelo EI, e estão prestes a seguir pelo mesmo caminho de Pervin. Com um clima de tensão crescente que prende o espectador ao sofá a cada episódio, Califado destrincha com assombro o poder da alienação religiosa e os embates de um país multicultural.

The Rain, Dinamarca

The Rain
The Rain Divulgação/Netflix

Primeira série dinamarquesa produzida pela Netflix, The Rain é uma ótima pedida para quem gosta de séries juvenis pós-apocalípticas. A produção se passa em um futuro em que a humanidade quase foi destruída por uma chuva tóxica que carrega um vírus misterioso capaz de matar milhões de pessoas. Os poucos sobreviventes precisam lidar com os efeitos colaterais deixados no mundo e garantir a sobrevivência da espécie. Com três temporadas curtas, a produção mergulha na ficção científica para explicar o surgimento do vírus que assolou o planeta,mostra  experimentos de gelar a espinha e deixa um fio de esperança para a humanidade.

Deadwind, Finlândia

Deadwind
Cena da série Deadwind, filmada na FInlândia Reprodução/Netflix

Representante finlandesa na lista, Deadwind foi um sucesso de audiência em seu país de origem, mas é relativamente desconhecida no Brasil. A trama acompanha a detetive Sofia Karppi (Pihla Viitala), incumbida de investigar o assassinato misterioso de uma mulher ligada a uma empreiteira de Helsinque. Enquanto isso, ela lida diariamente com a perda do marido, que morrera acidentalmente meses antes, desestabilizando a relação dela com as filhas. O thriller criminal costura mistério e drama familiar em uma trama viciante e eficiente. 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês