Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Tela Plana

Por Kelly Miyashiro
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

De ‘A Escada’ a ‘Pacto Brutal’, o sucesso do true crime entra em nova fase

Forjado em documentários e podcasts, o filão explora as nuances da Justiça — indo além da busca por culpados

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 15 ago 2022, 09h39 - Publicado em 13 ago 2022, 08h00

Dias antes do Natal de 2001, uma tragédia atingiu a pacata cidade de Durham, no estado americano da Carolina do Norte. A esposa do escritor Michael Peterson, Kathleen, foi encontrada morta na escada de sua residência após um pedido de socorro do marido. A polícia logo descartou a hipótese de acidente doméstico e classificou o caso como homicídio. Principal suspeito, Peterson foi condenado à prisão perpétua. A sentença seria revogada anos depois, mas a desconfiança sobre sua culpa não se dissipou. Essa história foi retratada na série documental Morte na Escadaria, em 2004, e ganhou neste ano uma exímia adaptação ficcionalizada em A Escada, da HBO Max, com Colin Firth na pele do romancista. O julgamento inconclusivo de Peterson virou exemplo de quanto o sistema judiciário americano pode ser ineficaz e frustrante.

NOVO OLHAR - Daniella Perez e o então marido, Raul Gazolla, em Pacto Brutal: a tragédia foi tratada como trama de novela -
NOVO OLHAR - Daniella Perez e o então marido, Raul Gazolla, em Pacto Brutal: a tragédia foi tratada como trama de novela – (HBO Max/.)

Modus Operandi: Guia de true crime

Nas lacunas deixadas pela polícia ou pela Justiça em casos reais assim, floresceu um prolífico gênero de narrativa explorado por documentaristas, escritores e jornalistas que esmiúçam veredictos contestáveis e exploram os cantos obscuros da mente humana. O fenômeno ganhou um nome que virou garantia de sucesso: true crime. O termo em inglês engloba as tramas sobre assassinatos e outros delitos verídicos que ultrapassam os limites do noticiário mundo cão para ganhar polimento especial em podcasts, documentários e, agora, séries. Neste ano, a força da tendência se refletiu de forma inédita no Emmy. Dos onze títulos das categorias de minissérie da principal premiação da TV americana, sete são da linha true crime — entre eles A Escada, com indicações de ator para Firth e de atriz para Toni Collette, que faz a vítima.

ABUSOS - Olivia Colman em Landscapers: a mulher enterrou os pais no quintal -
ABUSOS – Olivia Colman em Landscapers: a mulher enterrou os pais no quintal – (Stefania Rosini/HBO)

Os crimes da vida real sempre alimentaram o imaginário popular e, por extensão, impuseram-se como matéria-prima para a ficção. As tramas do true crime, no entanto, acrescentam peculiaridades muito contemporâneas à receita. Mais que meras reconstituições, essas produções extraem seu apelo da tática de reexaminar as próprias investigações dos casos, pondo em xeque o trabalho da polícia, questionando as decisões da Justiça e as intenções das partes envolvidas. Bem ao espírito da era das redes sociais, elas deixam um gostinho de conspiração no ar. Ao fim do programa, o espectador sai com mais dúvidas que certezas sobre o crime.

Continua após a publicidade

American Crime Story: O Povo Contra O. J. Simpson

O filão tem como seu padrão-ouro a excelente American Crime Story, criação de Ryan Murphy que em 2016, na sua primeira temporada, não apenas retratou o julgamento de O.J. Simpson: com lucidez espantosa, expôs a hipocrisia e as pressões sociais que levaram à absolvição do ex-jogador de futebol americano acusado de matar a esposa. Na terceira temporada, American Crime Story: Impeachment, disponível no Star+, expõe a alta dose de machismo que temperou o escândalo das escapadelas do ex-presidente americano Bill Clinton com Monica Lewinsky na Casa Branca.

CASO LEWINSKY - American Crime Story: Impeachment: o machismo no escândalo que quase derrubou Bill Clinton -
CASO LEWINSKY - American Crime Story: Impeachment: o machismo no escândalo que quase derrubou Bill Clinton – (Tina Thorpe/FX/.)

Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado

Na linha de A Escada, a minissérie Landscapers, da HBO, segue Olivia Colman como Susan Edwards, ex-bibliotecária inglesa condenada à prisão juntamente com o marido por matar e esconder os corpos dos pais dela no quintal da casa da família por quinze anos. O casal assumiu a culpa pelo crime de ocultação de cadáver, mas não pelos homicídios. Em quatro episódios, a série mostra os abusos sofridos por Susan nas mãos dos pais, adicionando complexidade à teia de motivos do crime. Mais sinuosa é a história de The Girl from Plainville, exibida no Brasil pelo Starzplay, sobre uma adolescente que induziu o namorado ao suicídio por meio de mensagens de celular, em 2014. Ambos sofriam de depressão — o que faz a jovem ser vista como culpada e vítima a um só tempo.

Continua após a publicidade
DUBIEDADE - Elle Fanning em The Girl from Plainville: suicídio induzido via celular -
DUBIEDADE - Elle Fanning em The Girl from Plainville: suicídio induzido via celular – (Steve Dietl/HULU/.)

No Brasil, um exemplar atípico fez o caminho inverso, tirando o véu de ficção que por trinta anos pairou sobre um crime real. A minissérie Pacto Brutal, da HBO Max, aborda o assassinato da atriz Daniella Perez, filha da autora Gloria Perez, pelo colega Guilherme de Pádua e a então esposa, Paula Thomaz, em 1992. Na época, o caso se mesclou à novela De Corpo e Alma, na qual ambos atuavam na Globo. Sem dar palco aos criminosos, Pacto Brutal devolve a narrativa à família da vítima. “Foi a primeira vez que pude falar de sentimentos. Antes, só tive de rebater versões fantasiosas e agressões à memória da Dani”, disse Gloria a VEJA. Em menos de um mês, a série se tornou o título mais visto da HBO Max nacional até hoje. “A repercussão me diz que valeu a pena o desgaste emocional de revisitar esse momento tão sofrido”, afirma Gloria. A verdade na tela é libertadora.

Publicado em VEJA de 17 de agosto de 2022, edição nº 2802

CLIQUE NAS IMAGENS ABAIXO PARA COMPRAR

Modus Operandi: Guia de true crime
Modus Operandi: Guia de true crime
American Crime Story: O Povo Contra O. J. Simpson
American Crime Story: O Povo Contra O. J. Simpson
Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado
Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado

*A Editora Abril tem uma parceria com a Amazon, em que recebe uma porcentagem das vendas feitas por meio de seus sites. Isso não altera, de forma alguma, a avaliação realizada pela VEJA sobre os produtos ou serviços em questão, os quais os preços e estoque referem-se ao momento da publicação deste conteúdo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.