Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Tela Plana

Por Kelly Miyashiro
Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming
Continua após publicidade

‘A Casa do Dragão’: excesso de cenas de sexo incomodou Matt Smith

Série derivada de 'Game of Thrones' vai seguir os passos de sua antecessora, com muita violência e nudez, mas promete ter mais cuidado em cenas de abuso

Por Marcelo Canquerino Atualizado em 8 ago 2022, 12h29 - Publicado em 8 ago 2022, 10h47

Um dos carros chefes da HBO, Game of Thrones era abundante em cenas de violência e de sexo. A nova produção do mesmo universo, A Casa do Dragão, promete seguir os mesmos passos. Em entrevista à  Rolling Stone britânica, o ator Matt Smith falou sobre a cenas íntimas de seu personagem, o príncipe Daemon Targaryen, e confessou que os momentos de nudez “são um pouco demais”.

“Você fica se perguntando: ‘Precisamos mesmo de outra cena de sexo?’. E eles respondem: ‘Sim, precisamos’”, contou o ator. “Acho importante se perguntar: ‘O que estamos fazendo? Estamos representando bem os livros ou estamos diluindo para o tempo em que vivemos?’. Acredito que nosso trabalho é representar os livros de maneira verdadeira e honesta, como eles foram escritos.”

A forma como o sexo é retratado na série, inclusive, já foi motivo de discussão antes mesmo da estreia. Miguel Sapochnik , co-showrunner e diretor da produção, contou ao jornal americano The Hollywood Reporter que a violência sexual será abordada nas telas “com cuidado e ponderação”, acrescentando que: “[Nós] não nos esquivamos disso. Vamos lançar uma luz sobre esse aspecto. Você não pode ignorar a violência perpetrada contra as mulheres pelos homens naquela época. Não deve ser menosprezada e não deve ser glorificada”. Após críticas públicas, porém, a produtora executiva Sara Hess esclareceu à revista Vanity Fair que a violência sexual não será retratada na série. “Lidamos com uma instância fora da tela e, em vez disso, mostramos as consequências e o impacto na vítima e na mãe do agressor. Acho que o que nosso programa faz, e do que me orgulho, é que escolhemos focar na violência contra as mulheres que é inerente a um sistema patriarcal”.

A Casa do Dragão, adaptação do livro Fogo e Sangue, de George R. R. Martin, se passa 200 anos antes dos eventos de Game of Thrones e contará a história da Dança dos Dragões, guerra civil entre a família Targaryen. Na trama, o rei Viserys I determina que a herdeira direta será sua filha, Rhaenyra (Milly Alcock/Emma D’Arcy) contrariando a regra de que apenas homens podem ser sentar no trono de ferro. O problema começa quando o rei se casa novamente com Alicent Hightower (Emily Carey/Olivia Cooke) e tem um filho homem, gerando um grande conflito pela sucessão do reino. A série, com episódios semanais, estreia na HBO e na plataforma HBO Max em 21 de agosto.

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.