Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

Trabalho, tortura e outras lutas: viva o Primeiro de Maio!

Ano passado vimos aqui na coluna a curiosa etimologia da palavra trabalho: descendente do termo latino tripalium (foto), um instrumento de tortura, o trabalho nasceu como castigo e obrigação, algo bem diferente – mas, pensando bem, nem tanto assim – daquele que “enobrece e dignifica”, como diz o chavão. No Dia do Trabalho, vale revisitar […]

Por Sérgio Rodrigues Atualizado em 31 jul 2020, 08h58 - Publicado em 1 Maio 2012, 10h00

Ano passado vimos aqui na coluna a curiosa etimologia da palavra trabalho: descendente do termo latino tripalium (foto), um instrumento de tortura, o trabalho nasceu como castigo e obrigação, algo bem diferente – mas, pensando bem, nem tanto assim – daquele que “enobrece e dignifica”, como diz o chavão. No Dia do Trabalho, vale revisitar aquele texto para lembrar como se deu esse desenvolvimento semântico:

Quando o verbo trabalhar desembarcou primeiro numa língua românica – no francês do século 12 – as ideias que expressava eram duas: submeter a padecimentos físicos ou morais e sofrer terrivelmente (vem daí a expressão “trabalho de parto”).

(…)

Para que fossem surgindo gradualmente as acepções modernas, positivas e relativamente indolores ligadas ao exercício de uma profissão, porém, seria preciso esperar alguns séculos. Data de 1600, segundo o ‘Trésor de la Langue Française’, o primeiro registro de ‘travail’ como “atividade profissional cotidiana necessária à subsistência”.

*

Alguns dos sinônimos de trabalho também carregam histórias interessantes, ainda que não tão dramáticas. Labuta (“trabalho pesado e perseverante”) tem origem obscura, mas considera-se provável que esteja ligado ao vocábulo de origem latina labor – talvez, na hipótese do etimologista Antônio Geraldo da Cunha, em cruzamento com a palavra luta.

Em resumo, seria o seguinte: labor + luta = labuta. Não passa de uma tese – de difícil comprovação, aliás – mas depois disso convém tratar com mais respeito neologismos brincalhões contemporâneos como pescotapa e aborrecente.

Labor e lavor, do latim labor, laboris, são palavras pouco usadas hoje em dia, mas é provável que estejam na origem de um termo de ampla circulação: lavoura. O vocábulo faina, outro sinônimo culto de trabalho, é mais um que apresenta conexões rurais: teve origem no espanhol faena (“o que deve ser feito”), vindo por sua vez do catalão fahena, derivado do latim facienda – a mesma fonte onde o português foi buscar a palavra fazenda.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)