Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

Quando o despautério faz todo o sentido

Despautério, vocábulo sonoro de sabor antiquado, sempre foi uma das minhas palavras preferidas para designar um disparate, um contra-senso, um despropósito, algo que ofende a razão ou o bom senso. O fato de vivermos num país em que despautérios dão mais que maria-sem-vergonha é um estímulo permanente ao enriquecimento do vocabulário no campo semântico dos […]

Por Sérgio Rodrigues Atualizado em 31 jul 2020, 14h15 - Publicado em 14 set 2010, 17h44

Despautério, vocábulo sonoro de sabor antiquado, sempre foi uma das minhas palavras preferidas para designar um disparate, um contra-senso, um despropósito, algo que ofende a razão ou o bom senso. O fato de vivermos num país em que despautérios dão mais que maria-sem-vergonha é um estímulo permanente ao enriquecimento do vocabulário no campo semântico dos absurdos.

Assim, foi com grande prazer que um dia esbarrei por acaso na etimologia de despautério. Tão saborosa quanto aquelas historinhas românticas que tantas vezes passam por verdadeiras, mas são autênticos despautérios, esta é considerada irrepreensível.

Dicionarizada pela primeira vez por Cândido de Figueiredo em 1899, a palavra proveio de Despautère ou Despauterius, conforme se considere a versão afrancesada ou latinizada do nome do gramático flamengo J. van Pauteren, autor de um livro de 1537, Comentarii gramatici, que gozou de grande difusão na Europa entre os séculos 16 e 17, mas era uma obra “confusa e rica de dislates”, segundo o Houaiss. Para a Larousse, citado por Silveira Bueno, o homem era “difuso, obscuro e cheio de declamação”.

Resumindo: Despautério era um gramático enrolado e meio cretino. Apropriado, não?

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês