Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

Nada de tradução errada: Valcke falou em ‘chutar a bunda’

“É preciso ter mais empenho, chutar sua (própria) bunda e simplesmente entregar essa Copa do Mundo, e é isso que nós faremos.” A frase diplomaticamente desastrosa do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, foi pronunciada na sexta-feira, dia 2, mas ecoou pela semana inteira, culminando com o cancelamento, ontem, da visita que o cartola francês faria […]

Por Sérgio Rodrigues Atualizado em 31 jul 2020, 09h21 - Publicado em 10 mar 2012, 10h00

“É preciso ter mais empenho, chutar sua (própria) bunda e simplesmente entregar essa Copa do Mundo, e é isso que nós faremos.”

A frase diplomaticamente desastrosa do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, foi pronunciada na sexta-feira, dia 2, mas ecoou pela semana inteira, culminando com o cancelamento, ontem, da visita que o cartola francês faria ao Brasil nos próximos dias.

Da indignação patriótica com o desrespeito de Valcke à sensação de que o governo brasileiro fez por merecer o esculacho, pois os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 patinam na incompetência generalizada, pode-se reagir ao episódio de várias formas.

O que parece indiscutível é que os exatos contornos linguísticos da polêmica declaração ficaram obscurecidos entre todas as versões e desconversas – inclusive a de que o homem da Fifa, como ele alegou em seu pedido de desculpas, teria sido vítima de um erro de tradução, pois em francês sua frase era muito mais suave.

O fato é que, de acordo com os repórteres presentes à sua entrevista coletiva, concedida na Inglaterra, Valcke se expressou em inglês e não em francês. Segundo a maioria dos relatos, suas palavras textuais foram as seguintes: “You have to push yourself, kick your arse and just deliver this World Cup, and that’s what we will do“. A tradução está ali em cima e não é mais suave nem mais grosseira do que o original.

Existe um fator atenuante, porém: a frase não se referiu a um pontapé vindo de fora, mas a um chute que, para se por em movimento, a organização da Copa deveria aplicar em si mesma – seja qual for a mecânica desse golpe.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês