Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Tudo é história: Lula, sim, é que fazia oposição leal. Um estudo de caso

Lula, como vocês viram, fez ontem um ataque tão covarde quanto calculado ao DEM, tentando isolá-lo na oposição, criminalizando a ação do partido, como se ele atuasse contra o Brasil e de braços dados com os sonegadores. Imaginem só: o representante máximo do partido que adora lidar com malas de dinheiro vivo, quando não o […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 20h08 - Publicado em 30 nov 2007, 05h45
Lula, como vocês viram, fez ontem um ataque tão covarde quanto calculado ao DEM, tentando isolá-lo na oposição, criminalizando a ação do partido, como se ele atuasse contra o Brasil e de braços dados com os sonegadores. Imaginem só: o representante máximo do partido que adora lidar com malas de dinheiro vivo, quando não o esconde na cueca, posou de sacerdote do fisco. De fato, o homem conta com a memória curta do brasileiro e do jornalismo. Poupou o PSDB — àquela altura, os governadores tucanos já tinham iniciado a nova rodada de pressão junto aos senadores para aprovar a contribuição. Agem debaixo de chicote. Ou tentam aprovar a CPMF, ou Lula lhes promete pão e água. Em vez de eles darem uma resposta política ao presidente, preferem se alinhar com ele. Quem cria corvos acaba com o olho furado.

Ah, os tocadores de tuba! Ah, os que descobriram agora as virtudes da moderação! Leiam isto: “O presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, disse que não tinha divergências com o presidente do PDT, Leonel Brizola, sobre a necessidade de o presidente Fernando Henrique Cardoso renunciar. Apenas não acreditava nessa possibilidade. ‘Só tenho uma discordância com Brizola. Renúncia é um gesto de grandeza. Só um grande homem tem essa grandeza. Fernando Henrique não tem. Ele é orgulhoso e prepotente’, afirmou. Horas antes, no Congresso, Lula pediu a saída de Fernando Henrique do cargo: ‘Se Fernando Henrique avaliasse as pesquisas como negação à sua política e tivesse bom senso, quem sabe chegasse à conclusão de que sair é melhor. Mas se quer continuar levando o Brasil deste jeito…’”

Viram só? É um trecho de uma reportagem de O Globo, de Mônica Gugliano (íntegra aqui, no site do Senado). O PT e a CUT organizaram a chamada Marcha os Cem Mil em Brasília. A central anunciou a presença de 130 mil. Segundo os cálculos da PM, o protesto juntou 40 mil pessoas. Os petistas agiram como de costume. Ônibus pagos pela CUT e pelos tais “movimentos sociais” juntaram os profissionais da baderna.

Lula ataca agora a oposição feita pelo DEM. Ele, sim, sabia ser propositivo e elegante. Ainda um trecho da reportagem: “No discurso, Lula, dizendo estar emocionado, assinalou: ‘Estou duplamente gratificado, porque conseguimos dizer a Fernando Henrique e a sua corja que nunca mais ousem duvidar da capacidade de organização da sociedade brasileira. As pessoas não estão aqui por causa de um lanche de brinde, mas para recuperar a auto-estima e a dignidade’. Lula reiterou que a marcha era apenas o começo, porque os protestos, a partir de agora, só vão aumentar e, cada vez, disse, serão maiores: ‘Como diz a torcida do Corinthians, vamos arrasar. Porque Fernando Henrique, se a corda apertar, viaja para Paris. Nós ficamos aqui comendo o pão que o diabo amassou. Esta pátria é nossa’.

Eis aí. Lula não enfrentou uma oposição como a que ele fez a FHC nem quando ficou provado que seu governo tinha sido assaltado pela cleptocracia. Que se note: o atual ministro da Justiça, Tarso Genro, havia pedido a renúncia de FHC oito meses antes, num artigo publicado na Folha no dia 19 de janeiro de 1999, no 19º dia do segundo mandato de FHC. E onde estavam os atuais tocadores de tuba do petismo para acusar o golpismo de Lula?

Vamos ler um pouco mais sobre os patriotas? Que tal isto: O presidente do PT, José Dirceu, seguiu essa linha. Disse, primeiro, que Fernando Henrique tentara intimidá-los afirmando que a manifestação era golpista. Em seguida, arrematou: ‘O grito do Brasil é de que ou Fernando Henrique muda de modelo econômico ou o Brasil vai mudar de governo.’ O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vicente Paulo da Silva, disse que o Governo é que levara um golpe porque afirmara que a manifestação seria pequena. ‘Viemos de bicicleta, a pé, de ônibus e até de jumento, o Governo é que levou esse golpe. (…) Golpe mesmo é a CPMF’

Continua após a publicidade

Está faltando um patriota nessa matéria: João Pedro Stedile. Vamos a ele: “Pedro Stédile disse que condiciona a permanência de Fernando Henrique à aplicação imediata de um programa econômico de emergência com quatro pontos: rompimento com o FMI, moratória da dívida interna, confisco de R$ 7 bilhões que teriam sido especulados pelos bancos na mudança da política cambial e suspensão do envio de dólares ao exterior. ‘Se Fernando Henrique não atender ficará isolado politicamente. A situação só vai piorar ‘, disse Stédile.”

É isso aí. Eis a moral do presidente da República que agora resolve demonizar a oposição. Esse foi o comportamento de Lula ao longo de oito anos de governo FHC. E não se enganem: Lula voltará a ser isso aí caso se eleja um presidente de oposição — a menos que o eleito decida condescender com todas as falcatruas petistas e mantenha intocado o aparelhamento do estado feito pelo partido.

E que se note: não estou igualando a atuação do DEM à do PT. Nada conseguirá ser igual àquilo. O DEM faz uma oposição leal, institucional e legal ao governo. Lula e seus tontons-macoutes é que tentaram derrubar FHC no grito. Aquilo, sim, é que era oposição golpista. E os atuais tocadores de tuba do petismo faziam o quê? Além da dedicação ao instrumento de sopro, demonizavam o “neoliberal” FHC.

Esses caras deixaram de praticar jornalismo faz tempo. Converteram-se em meros propagandistas do lulo-petismo. Deveriam seguir a trilha de coerência de Franklin Martins, Tereza Cruvinel e Helena Chagas: entrar no governo. A dupla militância é puro descaramento.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.