Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Senadora denuncia Minc por crime de responsabilidade na Procuradoria Geral da República

Leia o que vai abaixo. Volto no post seguinte. Por Gabriela Guerreiro, na Folha Online: A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) protocolou nesta terça-feira denúncia contra o ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) por crime de responsabilidade na PGR (Procuradoria Geral da República). Presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), a senadora afirma na denúncia que Minc […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 17h31 - Publicado em 2 jun 2009, 17h02

Leia o que vai abaixo. Volto no post seguinte.

Por Gabriela Guerreiro, na Folha Online:

A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) protocolou nesta terça-feira denúncia contra o ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) por crime de responsabilidade na PGR (Procuradoria Geral da República). Presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), a senadora afirma na denúncia que Minc ofendeu os agricultores ao participar do “Grito da Terra”, na semana passada.

Além da denúncia na PGR, Kátia Abreu encaminhou pedido de demissão do ministro à Comissão de Ética Pública da Presidência da República.

“O ministro dirigiu-se ao carro de som, assumiu o microfone, passou a proferir ataques, insultos e impropérios direcionados aos produtores do setor rural”, disse a senadora.

Continua após a publicidade

Kátia Abreu classificou de “grave conduta” a postura de Minc durante o “Grito da Terra”. Na ocasião, o ministro chamou os agricultores de “vigaristas” ao afirmar que os ruralistas “fingem defender a agricultura familiar”.

Segundo Kátia Abreu, as declarações não são dignas de um ministro de Estado. “A situação é particularmente grave na medida em que o senhor Carlos Minc dirige e supervisiona órgãos e entidades da administração federal que fiscalizam produtores rurais quanto ao cumprimento da legislação ambiental”, diz a senadora na representação.

 

Insultos

As declarações de Minc irritaram integrantes da bancada ruralista da Câmara, que reagiram às críticas do ministro e defenderam que ele deixe o cargo.

Continua após a publicidade

“Como responder um desqualificado moral como esse? Esse homem não tem estatura, é um irresponsável por tratar um segmento, o setor produtivo rural com essas palavras. Ele deve tratar assim quem ele convive bem, que é com o narcotráfico dos morros do Rio de Janeiro”, disse o líder do DEM na Câmara, Ronaldo Caiado (GO).

Caiado afirmou que o “palavreado” de Minc é “característico daquele usado nos morros da Rocinha” em conversas com traficantes de drogas. “Não venha trazer esse palavreado para cá. Nós deputados não aceitamos esse tipo de provocação de um ministro que não tem um mínimo de saber ao não assumir a liturgia do cargo.”

Depois da troca de insultos, Minc chegou a divulgar nota oficial para afirmar que não teve a intenção de insultar a bancada ruralista. “Não mencionei qualquer nome, não ofendi qualquer pessoa. Alertei sobre o risco de manipulação da agricultura familiar pelos grandes com o objetivo de usá-los como massa de manobra contra as proteções ambientais”, diz Minc na nota.

O ministro rebateu as críticas de Caiado ao afirmar que ficou “completamente estarrecido com a virulência e o baixo nível” das palavras usadas pelo líder democrata.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.