Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Relator de CPI Mista da Petrobras diz que pedirá convocação de contadora de Youssef; DEM e PPS apresentam requerimento nesta segunda

No Globo: O relator da CPI Mista da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), disse neste domingo que vai pedir a convocação da contadora Meire Bomfim Poza para prestar depoimento sobre suas denúncias envolvendo o doleiro Alberto Youssef. O petista disse que ela se tornou uma “peça-chave” nas investigações. Na véspera, o PPS, o DEM e […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 03h19 - Publicado em 11 ago 2014, 03h31

No Globo:
O relator da CPI Mista da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), disse neste domingo que vai pedir a convocação da contadora Meire Bomfim Poza para prestar depoimento sobre suas denúncias envolvendo o doleiro Alberto Youssef. O petista disse que ela se tornou uma “peça-chave” nas investigações. Na véspera, o PPS, o DEM e o PSDB avisaram que queriam o depoimento da contadora. Segundo a revista “Veja”, Meire, que era contadora de Youssef – preso na operação Lava Jato da Polícia Federal – revelou detalhes sobre como funcionava o esquema que tinha como supostos beneficiários empreiteiras, políticos e agentes públicos.

“Assim como o Youssef, ela agora é peça-chave no processo de investigação. Estamos, neste momento, analisando todos os dados da operação Lava Jato. E, portanto, de posse dessas informações, vamos poder confrontá-las com os depoimentos”, disse Marco Maia, por mensagem de texto. O PPS e o DEM apresentarão nesta segunda-feira os requerimentos de convocação junto à CPMI. O DEM também apresentará pedido junto à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara.

De acordo com a reportagem, pelo menos cinco parlamentares recebiam pagamento em dinheiro vivo, diretamente das mãos do doleiro ou por meio de depósitos bancários feitos por Meire. Os deputados André Vargas (sem partido-PR) e Luiz Argôlo (SDD-BA), que respondem a processo no Conselho de Ética da Câmara, estão entre eles; o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP); o deputado Mário Negromonte (PP-BA); e o senador Fernando Collor (PTB-AL). Todos negaram as acusações. Sobre André Vargas, Meire disse que ele ajudou Youssef “a lavar 2,4 milhões e, como pagamento, ganhou uma viagem de jatinho. Eu mesma fiz o pagamento”.

Meire citou ainda o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmando que ele contou com a ajuda de Youssef para quitar dívidas de campanha. Ela diz ter uma relação de números de contas bancárias de parentes e assessores de políticos que receberam dinheiro do doleiro.
(…)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês