Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

O voto só é realmente democrático se for facultativo

No sábado, conforme lembrou matéria de O Globo, o voto obrigatório completou 75 anos no Brasil. Há proposta no Congresso para extingui-lo, mas dificilmente seria aprovada. A cantilena é a de sempre: o voto é um direito e é um dever. Besteira nos próprios termos. Se é dever, não pode ser direito. Se é direito, […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 22h39 - Publicado em 25 fev 2007, 17h51
No sábado, conforme lembrou matéria de O Globo, o voto obrigatório completou 75 anos no Brasil. Há proposta no Congresso para extingui-lo, mas dificilmente seria aprovada. A cantilena é a de sempre: o voto é um direito e é um dever. Besteira nos próprios termos. Se é dever, não pode ser direito. Se é direito, o indivíduo tem de escolher se vota ou não.
É claro que eu sou favorável ao voto facultativo. Reparem que, geralmente, a esquerda é que defende o voto obrigatório – pelo menos onde existe democracia. No melhor do mundo das esquerdas autênticas, claro, dispensa-se essa formalidade…
Ninguém pode obrigar a velhinha a atravessar a rua se ela não quiser, ainda que possamos achar que é o melhor pra ela. Reparem: a defesa do voto obrigatório se assenta num paradoxo. Por quê?
Afirma-se que, numa sociedade que fosse mais igualitária e educada, o voto poderia até ser facultativo. Huuummm: quer dizer que ele seria facultativo para cidadãos plenamente, vá lá, lúcidos, mas deve ser obrigatório para aqueles meio idiotas? A tese é estúpida.
E que fique claro: eu não acredito nessa história de “cidadãos plenamente conscientes” disso e daquilo. Isso é resquício ou manifestação de marxismo vagabundo. Supõe-se que exista uma falsa consciência à espera de uma iluminação. No dia em que o voto não for obrigatório, os partidos e os políticos terão de lutar um pouco mais para despertar o interesse dos potenciais eleitores. O voto obrigatório cria o maior cartório do país. De resto, a questão geral é a seguinte: deve-se obrigar o cidadão a fazer alguma coisa só em último caso.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.