Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O negócio da reforma agrária: Justiça diz que Incra comprou fazenda de amigo de Lula a preço superfaturado

Por Rodrigo Vargas, na Folha Online: O pecuarista José Carlos Bumlai, 66, se declarou “surpreso” com o resultado de perícias do Ministério Público Federal que apontam superfaturamento de R$ 7,5 milhões na compra, pelo Incra-MS, de sua fazenda em Corumbá (MS). O resultado levou a Justiça Federal a conceder uma liminar suspendendo imediatamente o pagamento […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 14h14 - Publicado em 15 set 2010, 22h38

Por Rodrigo Vargas, na Folha Online:

O pecuarista José Carlos Bumlai, 66, se declarou “surpreso” com o resultado de perícias do Ministério Público Federal que apontam superfaturamento de R$ 7,5 milhões na compra, pelo Incra-MS, de sua fazenda em Corumbá (MS).

O resultado levou a Justiça Federal a conceder uma liminar suspendendo imediatamente o pagamento de TDAs (títulos da dívida agrária) referentes à compra da propriedade de 4.683 hectares.

Amigo do presidente Lula e membro do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social) do governo, Bumlai vendeu a fazenda São Gabriel e todas as benfeitorias por R$ 20.920.783,58.

Em valores da época, segundo a perícia da Procuradoria, a propriedade valia R$ 13.355.146,81.

A área hoje abriga um assentamento com 274 famílias. “Estou surpreso com tudo isso. Eu não vendi nenhuma fazenda superfaturada a ninguém”, disse Bumlai.

Continua após a publicidade

O pecuarista diz que a negociação “não foi aleatória”. “Houve audiência pública, registro público de preços. Aos vizinhos, foi facultada a possibilidade de ofertas melhores. Cinco anos depois, tudo isso não vale mais nada?”

A São Gabriel foi subavaliada, na opinião de Bumlai. “É uma fazenda na beira do asfalto, com quilômetros de cercas de aroeira. Eu queria receber mais.”

As benfeitorias (R$ 4,3 milhões) foram pagas à vista. O restante foi convertido em TDAs resgatáveis em até dez anos. Segundo a Procuradoria, Bumlai recebeu R$ 14,2 milhões pelo negócio até o momento.

INCRA
Em carta encaminhada à Folha, o presidente do Incra, Rolf Hackbart, disse que a avaliação do imóvel de Bumlai “foi realizada com metodologia adequada e de acordo com a legislação e as normas vigentes”.

“Os servidores do Incra fizeram ampla comparação de mercado com imóveis rurais da região”, diz Hackbart em um trecho da carta.

Na avaliação de campo, segundo Hackbart, a localização da fazenda (45 km de Corumbá) foi classificada como “ótima”. “O solo também foi considerado de excelente qualidade.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)