Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Lula, o milagreiro: já há quem preveja apenas 2,5% de crescimento neste ano

Vocês se lembram, não? Há tempos tenho insistido aqui que o crescimento do Brasil, neste ano, será de 2,7%. Desde que quando o proparoxítono Mantega afirmava que iria ser de 4%. Bem, o governo já admite 3%, e o mercado fala em 2,8%. Acabo de conversar com quem entende do riscado. Considerando-se os dados da […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 22h53 - Publicado em 16 dez 2006, 17h40
Vocês se lembram, não? Há tempos tenho insistido aqui que o crescimento do Brasil, neste ano, será de 2,7%. Desde que quando o proparoxítono Mantega afirmava que iria ser de 4%. Bem, o governo já admite 3%, e o mercado fala em 2,8%. Acabo de conversar com quem entende do riscado. Considerando-se os dados da indústria, o índice de 2,7% passou a ser o teto, a aposta mais otimista. A realista mesmo agora é de 2,5%. Só para vocês terem uma idéia de como a técnica é importante no Brasil para se antecipar aos problemas, em agosto, o Ipea ainda previa um crescimento de 3,6%!!! Agosto… Há miseráveis quatro meses. Sacaram? O Brasil não consegue se organizar para andar um quarteirão, mas Lula agora vem com planos mirabolantes para “destravar” a economia. Volto aos números. Vejam os índices de crescimento do primeiro mandato de FHC, marcado por crises externas:
1995 – 4,22%
1996 – 2,66%
1997 – 3,27%
1998 – 0,13%
Média do crescimento: 2,57%

Lula, que faz o governo como nunca se viu antes no mundo mundial, produziu até agora:2003 – 0,5%2004 – 4,9%2005 – 2,3%Se o crescimento neste ano ficar nos 2,7%, a média em quatro será de 2,6% — ou 0,03 ponto percentual acima de seu arqui-rival. Caso se confirmem os 2,5%, a média será de 2,55%, ou 0,02 ponto percentual abaixo de FHC. Tudo praticamente igual? Não!!! Tudo muito pior para Lula, cujo governo coincide com um ciclo inédito de expansão e calmaria da economia mundial. Ainda que o padrão de comparação fosse o segundo mandato do ex-presidente — que, além das crises externas, contou o apagão (2001) e o risco PT (2002)—, o confronto seria vexaminoso para o petista:1999 – 0,79%2000 – 4,36%2001 – 1,31%2002 – 1,93%Média do crescimento: 2,09%Imaginem só: em 2002, o risco país era nove vezes maior do que o atual, e o Brasil exportava a metade. Com tudo a seu favor, o petista corre o risco de produzir uma média de crescimento apenas 0,46 ponto percentual maior do que a do pior mandato de FHC, quando as crises externas e o PT jogavam francamente contra o Brasil.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.