Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

JOSÉ ALENCAR, O ELEITOREIRO MALUQUINHO

Jose Alencar, vice-presidente, resolveu ser o velhinho maluquinho e inimputável da política brasileira. Tenho simpatia por sua luta contra o câncer, considero-o extremamente simpático, mas acho que ele abusa de um conjunto de circunstâncias para atravessar o samba. Diz, às vezes, as maiores barbaridades, e as pessoas preferem deixar pra lá. Quadra interessante está em […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 15h24 - Publicado em 3 Maio 2010, 18h21

Jose Alencar, vice-presidente, resolveu ser o velhinho maluquinho e inimputável da política brasileira. Tenho simpatia por sua luta contra o câncer, considero-o extremamente simpático, mas acho que ele abusa de um conjunto de circunstâncias para atravessar o samba. Diz, às vezes, as maiores barbaridades, e as pessoas preferem deixar pra lá. Quadra interessante está em que vivemos. O presidente é um inimputável político porque ex-operário; o vice, porque enfrenta com coragem uma doença difícil e porque tem aquela pinta de avô que dá bala escondido para as crianças. Há coisa de três semanas, defendeu o direito de o Irã ter a bomba nuclear para… fins pacíficos. Ninguém deu bola. Era só o vice falando. Lula já especulou sobre as vantagens de a Terra ser quadrada. Ninguém deu bola. Era só o presidente falando. E as coisas seguem assim. Ambos também não vêem mal nenhum em fazer campanha eleitoral antecipada ou com recursos públicos. Afinal, são apenas o presidente e o vice falando…

Alencar discursou da abertura da ExpoZebu,  em Uberaba, Minas. Os pré-candidatos à Presidência José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) estavam presentes. Rasgou elogios a Lula. Até aí, tudo bem. E pregou “a continuidade desse governo sério, democrático e desenvolvimentista”. Aí já é inaceitável. No máximo, poderia defender a continuidade “dos procedimentos” (se os acha bons), da “linha seguida” (se acha que está correta), mas não a “do governo”. Isso é campanha eleitoral, dado que a campanha petista está centrada na afirmação de que Dilma será a continuação de Lula.

Alencar também sentiu a inevitável necessidade faltar um tantinho com a verdade. Afirmou ter assinado um documento contra invasões de terra. Ótimo! Disse que “fora da lei, não há salvação.” Excelente! É o que eu penso.  E afirmou que o trabalho de Lula em relação às invasões foi “absolutamente intransigente”. Falso como moeda de R$ 3. O governo Lula pode ter sido intransigente, sim. Mas com os proprietários de terra. Basta recuperar as boçalidades ditas por Carlos Minc, ex-ministro do Meio Ambiente. Até o ano passado, a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, chamava as críticas ao MST de “demonização dos movimentos sociais”.

O governo Lula não reprimiu as ilegalidades do MST; ao contrário: irrigou-as com dinheiro público. E nem o vice e sua grande simpatia podem mudar isso. Quanto a fazer campanha eleitoral antecipada, as leis valem para todo mundo. Para o vovô Alencar também!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)