Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Investigação indica ligação de Dantas com Valério, o operador do mensalão

Por Fausto Macedo e Roberto Almeida, no Estadão:A Brasil Telecom, sob gestão do grupo Opportunity de Daniel Dantas, firmou contratos irregulares na soma de R$ 150 milhões com as agências de publicidade DNA e SMP&B, do empresário Marcos Valério, considerado o operador do mensalão, ressalta o novo relatório da Polícia Federal. As transações, realizadas pouco […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 18h33 - Publicado em 21 nov 2008, 04h51
Por Fausto Macedo e Roberto Almeida, no Estadão:
A Brasil Telecom, sob gestão do grupo Opportunity de Daniel Dantas, firmou contratos irregulares na soma de R$ 150 milhões com as agências de publicidade DNA e SMP&B, do empresário Marcos Valério, considerado o operador do mensalão, ressalta o novo relatório da Polícia Federal. As transações, realizadas pouco antes de eclodir o escândalo do mensalão, assim como diversas outras anteriores, foram subscritas por Carla Cicco, então presidente da operadora de telefonia.
Carla assinou os contratos com as agências de Valério sem a anuência da diretoria de marketing da empresa e sem processo licitatório, contra as diretrizes da BrT. Segundo depoimento do diretor da operadora à época, Luciano José Porto Fernandes, “possivelmente quem tenha indicado a contratação (das agências DNA e SMP&B) para Carla Cicco tenha sido Humberto Braz (considerado pela PF braço direito de Dantas, acusado de corromper o delegado federal Vitor Hugo Rodrigues a mando do banqueiro)”.
À PF, Fernandes corrobora as informações obtidas pelos agentes e conclui que “a contratação das empresas SMP&B e DNA fugiram à rotina normal de contratações da empresa”.
Ricardo Antonio Couto, ex-diretor executivo de marketing da operadora de telefonia, amparou as declarações de Fernandes à PF, ao afirmar que de seis relatórios referentes a contratos com as agências de Valério, “um ou dois” tinham qualidade razoável e “outros quatro tinham conteúdo técnico de baixa qualidade”.
Segundo o novo relatório dos federais, os novos gestores da operadora informaram ainda, após a saída de Carla Cicco da BrT, em representação à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que o serviços da DNA e SMP&B ficaram “muito aquém do razoável, não fazendo jus aos significativos valores que por eles foram pagos”.
Assinante lê mais aqui

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.