Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Inflação acima de 7% e economia a caminho da recessão! Chamem o Cumpádi Uóshito! Não sabe de nada, inocente!

O mercado já está chegando lá. E onde é lá? Fica no território do óbvio: o país caminha para uma recessão. E olhem que as medidas da presidente Dilma Rousseff contra o crescimento ainda não começaram a surtir efeito. “Medidas contra o crescimento?” É claro que o propósito não é esse. Mas essa é uma […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 02h13 - Publicado em 2 fev 2015, 15h14

O mercado já está chegando lá. E onde é lá? Fica no território do óbvio: o país caminha para uma recessão. E olhem que as medidas da presidente Dilma Rousseff contra o crescimento ainda não começaram a surtir efeito. “Medidas contra o crescimento?” É claro que o propósito não é esse. Mas essa é uma das consequências. No Boletim Focus divulgado nesta segunda, o mercado prevê uma expansão da economia neste ano  de, atenção!, 0,03%.

Sim, leitor amigo, entre zero e qualquer coisa diferente de zero, há infinitos números. Mas isso, vocês sabem, é outro território: é o da matemática. Em matéria de crescimento econômico, 0,03% é igual a zero. E pode ser inferior a zero quando se constata que, na semana passada, o mesmo boletim apontava 0,13%. Sabem o que isso significa? De uma semana para a outra, a previsão baixou 77%. Há um mês, a antevisão era expansão de 0,5%. Logo, em 30 dias, a previsão sofreu uma baixa de 94%. É que, em matéria de crescimento, quando os números ficam à direita da vírgula, o mercado já desiste de fazer conta.

Mas essa não é a única má notícia. Mesmo com a pancada já havida nos juros, prevê-se agora que o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) fique em 7,01% — há um mês, a mediana estava em 6,56%. Vale dizer: vem por aí uma recessão, com os juros nos cornos da lua —12,25% ao ano hoje — e inflação alta. Eis as consequências das escolhas feitas pelo petismo na economia.

Se alguém quiser ficar um tantinho mais irritado, tendo uma dura aula prática de política, basta entrar na internet e comparar o que está em curso com o que a Soberana disse na campanha. Não! Ela não é uma presidente que prometeu mundos e fundos sem saber direito como um antecessor deixou o governo. Dilma é a sucessora de Dilma. Logo, a então presidente Dilma sabia que a candidata Dilma estava contando um monte de mentiras para ganhar a eleição. Isso, acho eu (ainda vou ler o livro), João Santana não deve ter contado em sua entrevista.

“Ah, Reinaldo, então, depois do desastre, vem um crescimento vigoroso em 2016, certo?” Chamem o Cumpádi Uóshito! Não sabe de nada, inocente! Para o ano seguinte, projeta-se a merreca de 1,5% — e a expectativa está em queda: era de 1,54% na semana anterior. Há um mês, antevia-se 1,8%. Ou por outra: em 30 dias, a queda é de 17%. Não é por acaso. Os analistas preveem a Selic a 12,5% no fim do ano — os analistas que mais acertam falam em 13%. Para o fim de 2016 — sim, o ano seguinte —, aposta-se em 11,5%. Não há país que cresça de modo decente com o juro nesse patamar.

Tudo isso porque eles são maus? Não! Tudo isso porque os petistas são incompetentes para gerir a economia. Com o vento a favor, eles promovem a farra. Com o vento contrário, recessão. O PT é sempre, digamos, “pró-cíclico” — o ciclo da estupidez. Então vamos lá. O país cresceu 2,7% em 2011, 0,9% em 2012 e 2,3% em 2013. Em 2014, fala-se em 0,3%. Com boa vontade, neste ano será ZERO e 1,5% em 2016. Assim, em seis anos, que é até onde a vista alcança, a gestão Dilma terá produzido um crescimento médio de 1,28%, o que é, sem favor, um desastre histórico.

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês