Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Haddad tenta justificar o fracasso já evidente do Bolsa Crack. Ou: Informação e manipulação num dia que os chefões petistas foram à Haddadolândia

Há muitos anos não via um fato submetido ao filtro da distorção militante como faz o Estadão num vídeo, todo editorializado, que está no ar sobre a ação do Denarc na Cracolândia. É espantoso! O vídeo, na íntegra, está aqui. Para começo de conversa, sugiro que vocês façam um exercício, a que professores de cinema […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 04h35 - Publicado em 23 jan 2014, 23h02

Há muitos anos não via um fato submetido ao filtro da distorção militante como faz o Estadão num vídeo, todo editorializado, que está no ar sobre a ação do Denarc na Cracolândia. É espantoso! O vídeo, na íntegra, está aqui.

Para começo de conversa, sugiro que vocês façam um exercício, a que professores de cinema recorrem em certas aulas. Primeiro assistam ao vídeo sem som. Acompanhem apenas a mímica dos policiais e tentem procurar algum excesso. Em seguida, assistam ao vídeo com som. Aí as sirenes, motores, correria e gritaria criam a impressão de agressões inaceitáveis. Cadê? No vídeo, não há. E, como não há, o Estadão decidiu editar as imagens, dar uma pilhada no material, acrescentando um texto que não coincide com as imagens. Vejam. Comento cada quadro.

Cracolândia Estadão 1

Comento – O Denarc não está obrigado a comunicar previamente coisa nenhuma a ninguém. Desde quando é preciso pedir autorização para prender traficante?

Continua após a publicidade

Cracolândia Estadão 2

Comento – O Denarc não cercou ninguém. Ao prender traficantes, os policiais foram cercados e agredidos. Três carros de polícia foram depredados. E chegaram os reforços. O que há de errado nisso?

Cracolândia Estadão 3

Continua após a publicidade

Comento – É o contrário. O texto traz uma inversão detestável. A polícia é que, atacada com paus e pedras, revidou. Quando às balas de borracha, até agora não apareceu imagem nenhuma.

Cracolândia Estadão 4

Comento – Deixem-me ver se entendi. Quando o Denarc tiver de prender traficantes, terá de comunicar previamente:
a: os agentes de saúde e assistência social da Prefeitura;
b: o secretário de segurança do município;
c: o prefeito Fernando Haddad.

Continua após a publicidade

Cracolândia Estadão 5

Comento – Nos velhos tempos, um veículo de comunicação recorria à fórmula “a reportagem apurou” para dar uma informação que NÃO ERA DO INTERESSE OFICIAL. Agora, a coisa mudou. Haddad já se deu conta do fracasso de seu absurdo programa e tenta transferir responsabilidades. O Estadão está colaborando.

O jornal e o prefeito poderiam explicar por que a ação do Denarc prejudica o programa; ação essa que não atingiu os beneficiários.

Continua após a publicidade

Qual é o nexo lógico? Qual é a relação de causa e efeito?

Olhem aqui: o Estadão pode apoiar o programa o quanto quiser. Mas acredito que é possível fazê-lo ancorando-se nos fatos.

Ângulo das fotos
Vi há pouco o Jornal Nacional. A reportagem apresenta fotos da ação policial. Vejam algumas. Reparem nos créditos e no ângulo. Volto depois.

Continua após a publicidade

Cracolândia JN 1

 Cacolândia JN 2

Cracolândia JN 3

No crédito, lê-se: “Imagens cedidas pela Prefeitura”. Como se pode constatar, alguém, do alto de um prédio, a serviço da Prefeitura, estava registrando tudo. Isso no dia em que haviam passado por lá os petistas Alexandre Padilha, José de Fillipi Jr. e Roberto Porto.

Segundo a delegada Elaine Biasoli, chefe do Denarc, a prisão de traficantes na região é corriqueira, frequente: 65 pessoas de novembro ao dia 20 deste mês. Só nesta quinta, com a Haddadolândia coalhada de petistas, é que houve reação.

Um deles ao menos, tudo indica, tinha a tarefa de fazer as fotos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.