Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Governo da Itália formaliza apelo ao STF para ser ouvido no caso Battisti

Na Folha Online:O governo da Itália ingressou nesta sexta-feira com um recurso no STF (Supremo Tribunal Federal) que pede vista do processo de extradição do ex-ativista Cesare Battisti e o direito de se manifestar na ação. As autoridades italianas defendem a extradição de Battisti. O caso deverá ser julgado no dia 2, quando o Judiciário […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 18h17 - Publicado em 23 jan 2009, 17h27
Na Folha Online:
O governo da Itália ingressou nesta sexta-feira com um recurso no STF (Supremo Tribunal Federal) que pede vista do processo de extradição do ex-ativista Cesare Battisti e o direito de se manifestar na ação. As autoridades italianas defendem a extradição de Battisti. O caso deverá ser julgado no dia 2, quando o Judiciário retoma suas atividades.
O assunto foi tema de uma reunião entre o embaixador da Itália no Brasil, Michele Valensise, e o presidente da Suprema Corte, Gilmar Mendes, realizada nesta semana. Na conversa, o diplomata solicitou que o governo italiano fosse ouvido no processo.
Paralelamente, o STF espera a conclusão do parecer sobre o pedido de liberdade de Battisti, que está sob responsabilidade do procurador-geral da República, Antônio Fernando Souza –que há uma semana está com o assunto em mãos. Interlocutores de Souza afirmaram que ele deve decidir sobre o assunto apenas na próxima semana.
Uma vez concluído o parecer, o STF deve julgar o pedido de revogação da prisão preventiva da Battisti e definir se o processo de extradição deve ser suspenso.
Desde 2007, o ex-ativista está preso em Brasília. Na Itália, ele foi condenado à prisão perpétua por envolvimento em quatro assassinatos. Battisti nega a participação nos crimes.
No último dia 13, o Ministério da Justiça concedeu a Battisti refúgio político, autorizando o direito de morar e trabalhar no Brasil. A iniciativa gerou críticas e manifestações de vários segmentos na Itália.
Publicidade