Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Gilmar Mendes volta a defender a criação da corregedoria da PF e diz que controle feito pelo MP é “lítero-poético-recreativo”

Na Folha Online. Comento no post seguinte:(…)o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, defendeu nesta terça-feira a criação de um órgão de controle das atividades da corporação. Mendes disse estar “absolutamente convencido” da necessidade da criação da “Corregedoria de Polícia” porque considera ineficiente o atual controle externo do Ministério Público sobre a PF. […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 17h54 - Publicado em 31 mar 2009, 17h49
Na Folha Online. Comento no post seguinte:
(…)o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, defendeu nesta terça-feira a criação de um órgão de controle das atividades da corporação. Mendes disse estar “absolutamente convencido” da necessidade da criação da “Corregedoria de Polícia” porque considera ineficiente o atual controle externo do Ministério Público sobre a PF.

“Os senhores sabem que esse tal controle externo do Ministério Público é algo lítero-poético-recreativo, não tem funcionado a contento. Eles mesmos reconhecem isso. Pode se fazer esse controle, mas haveria uma vara especial para fazer esse controle”, afirmou.

A Corregedoria de Polícia, segundo Mendes, seria comandada por juiz com independência para executar o controle, mas com a obrigação de subordinar suas atividades ao corregedor do seu tribunal de origem, ao corregedor do Conselho da Justiça Federal e ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

“Talvez nós pudéssemos ter um órgão independente, um juiz que se incumbiria disto e que, eventualmente, se submeteria a ir aos controles convencionais porque ele estaria submetido ao corregedor do tribunal, eventualmente ao corregedor do Conselho da Justiça Federal e até ao Conselho Nacional de Justiça”, afirmou.

Mendes disse que os abusos em operações policiais enchem um “dicionário de A a Z”, mas ressaltou que as súmulas do STF que proibiram o uso de algemas e permitiram o acesso aos inquéritos para os envolvidos nas investigações já reduziram irregularidades cometidas pela PF.

“Nós temos que talvez fazer um aprendizado institucional de maior serenidade, de maior contenção na divulgação dessas medidas [da PF]. O acesso ao inquérito para os eventuais interessados, outra súmula do Supremo, já colocou um pouco de ordem naquele quadro de bagunça que antes nós tínhamos e que dava poder enorme às pessoas que detinham essas informações”, disse.

Na opinião do presidente do STF, a implementação da Corregedoria Judicial de Polícia pode ocorrer “sem maiores dificuldades”. “Acho até que o Conselho de Justiça Federal poderia fazer um experimento institucional, delegando a alguma vara criminal essa tarefa, começando assim, talvez, a coibir abusos que a toda hora se apontam e tentam levar ao descrédito das instituições.”
Sobre a divulgação de doações da construtora Camargo Correa a partidos políticos, Mendes criticou o vazamento de informações das operações da PF. “Qualquer divulgação desses fatos sem as devidas cautelas provocam todos esses tumultos. A imputação de aparelhamento, utilização das instituições para finalidades políticas é sempre preocupante.”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)