Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Gilberto Carvalho e um dos filhos de Lula… Eita gente pra gostar de gente enrolada, não é mesmo?

É incrível como os petistas, que estão sempre proclamando a sua inocência, adoram a companhia de pessoas que têm muitas explicações a dar...

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 00h14 - Publicado em 26 out 2015, 20h35

É impressionante como sempre tem petista metido com gente errada, né? Que vocação tem essa gente! Nesta segunda, Gilberto Carvalho, ex-secretário-geral da Presidência (governo Lula) e segundo homem mais importante do PT — só perde para o Luiz Inácio Apedeuta da Silva —, prestou depoimento à Polícia Federal no âmbito da Operação Zelotes. O que há a respeito dele? A suspeita de que atuou em favor de um lobby que resultou na assinatura de uma Medida Provisória, em 2009, que estendeu benefícios fiscais para o setor automobilístico.

As decisões judiciais que deflagraram a terceira fase da operação foram motivadas pelos, como vou chamar?, sinais de que Carvalho transitou nos bastidores de uma Medida Provisória, editada por Lula em 2005, que favoreceu o setor automobilístico.

A PF constatou que era grande a proximidade entre Carvalho e Mauro Marcondes, um dos sócios da empresa Marcondes & Mautoni Empreendimentos e Diplomacia Corporativa, uma simples microempresa. Pois bem, há indícios de que a dita-cuja, em companhia da SGR Consultoria Empresarial, pagou R$ 6,4 milhões a “colaboradores” que atuaram nos bastidores da política em favor da MP. Segundo a PF, as duas empresas mais beneficiadas pela nova MP foram a MMC Automotores do Brasil e a Caoa Montadora de Veículos.

A PF aponta que a MP, de 2009, foi baixada quatro dias depois de um evento que teria ocorrido no dia 16 de novembro de 2009 com a inscrição “Café: Gilberto Carvalho”, encontrada em papel apreendido na casa de outro lobista, Alexandre Paes dos Santos, preso nesta segunda-feira. Alexandre, conhecido como APS, procurem nos arquivos, é um velho conhecido das lambanças de Brasília.

Afirma o relatório da PF:
“Constatamos que as relações mantidas entre a empresa do lobista Mauro Marcondes e o Gilberto Carvalho são deveras estreitas. Os documentos que seguem abaixo fortalecem a hipótese da ‘compra’ da medida provisória para beneficiamento do setor automotivo utilizando-se do ministro que ocupava a ‘antessala’ do então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, responsável direto pela edição de medidas provisórias”.

Diz o Ministério Público: “Há indicativos que servidores públicos do Poder Executivo, inclusive da Presidência da República, possam ter recebido vantagem indevida para colaborar no processo de edição da Medida Provisória”. A Folha Online informa que, em uma planilha apreendida pela PF na casa de Alexandre Paes dos Santos, Gilberto Carvalho é citado, entre outras pessoas, dentro de um certo “projeto de prorrogação por mais cinco anos (2015-2020) do Benefício Fiscal para a Caoa”.

Para lembrar, a empresa de marketing esportivo de Luiz Cláudio, um dos filhos de Lula, recebeu R$ 2,4 milhões por supostos serviços prestados à Marcondes & Mautoni Empreendimentos e Diplomacia Corporativa, cujo dono aparece em evidente intimidade com Gilberto Carvalho.

Pode ser tudo coincidência? É… Os petistas estão mais sujeitos a elas do que qualquer outro grupo, pelo visto. Mas insisto: impressiona a frequência com que os companheiros aparecem em más companhias. Por alguma razão há de ser, não é?

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)