Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

DATAFOLHA RIO: A esquerda pode tomar, e DESTRUIR!, a cidade com apenas 21% dos eleitores! Voto útil em Pedro Paulo já!

Freixo tem apenas 13% das intenções de voto; Jandira, 8%. Mesmo assim, pesquisa Datafolha revela que candidato do PSOL pode chegar à Prefeitura, embora voto não esquerdista na cidade some 62%

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 30 jul 2020, 21h41 - Publicado em 1 out 2016, 22h58

Eis um texto diferente. Ele começa pela conclusão, pela síntese. A análise vem depois:
1 – a esquerda pode governar (e destruir) o Rio com apenas 21% do eleitorado;
2 – eleitores de Jandira sentiram essa possibilidade e estão fazendo voto útil em Freixo;
3 – se os não petistas não fizerem voto útil, podem estar entregando a cidade ao PSOL;
4 – embora Índio da Costa seja quem mais se aproxima de Crivella, as chances de Pedro Paulo passar para o segundo turno são maiores; logo, quem não quer Crivella e, sobretudo, Freixo tem de fazer voto útil no candidato do PMDB;
5 – se não for assim, com 62% dos votos, os não esquerdistas podem entregar a cidade ao PSOL;
6 – como se notará, socialismo é coisa de rico, de universitário deslumbrado e de gente que ainda não paga a conta.

SALVEM O RIO!

AH, SIM! SE FREIXO PASSAR PARA O SEGUNDO TURNO, ESPERO QUE AO MENOS SEJA GRATO AO ELEITORADO DE FLÁVIO BOLSONARO, NÉ? A DIREITA, PARA NÃO VARIAR, ESTARÁ ENTREGANDO O PODER DE BANDEJA À ESQUERDA.

Vamos ver.

Escrevi nesta manhã um post chamando atenção para o desastre que pode colher o Rio de Janeiro. E disse por que eu votaria em Pedro Paulo (PMDB) se fosse eleitor na cidade: PARA QUE A GESTÃO DE EDUARDO PAES PUDESSE SER AVALIADA COM MAIS VAGAR. Segundo o Datafolha, nem é ele o que teria melhores condições de vencer Marcelo Crivella (PRB). Não seria hoje. Não se sabe depois. O ponto, para mim, reitero, é outro: A MELHOR GESTÃO DO RIO EM MUITOS ANOS MERECE MAIS CUIDADO DOS CARIOCAS. Ocorre que, segundo o Datafolha, pode ser Marcelo Freixo (PSOL) a disputar o segundo turno com Crivella.

Vale dizer: será o confronto entre duas correntes religiosas. Mais ainda: se acontecer de Freixo ser o prefeito, os conservadores e antiesquerdistas é que o terão colocado lá. Ah, os ricos e escolarizados também! Socialismo é isso: é um esoterismo, um misticismo, que só prospera entre endinheirados e escolarizados. Explico tudo.

Continua após a publicidade

Pesquisa realizada pelo instituto nesta sexta e neste sábado, divulgadoa na Folha Online, aponta que Crivella segue na frente, com 27% das intenções de voto (32% dos validos). A margem de erro é de dois pontos. Há um empate técnico no segundo lugar: Freixo está com 13% (16% dos válidos), e Pedro Paulo, com 10% (12% dos válidos). Na sequência, estão Índio da Costa (PSD), com 9% (11%); Carlos Osório (PSDB), com 8% (10%); Flávio Bolsonaro (PSC), com 7% (8%) e Jandira Feghali (PCdoB), com 6% (7%).

RIo primeiro turno - totais

Vamos lá: no dia 21 de setembro, Jandira tinha 9% dos votos totais; está agora com 6%; Freixo tinha 9% e aparece desta vez com 13%. Tudo indica que parte do eleitorado de esquerda que votaria na comunista do Brasil está fazendo voto (in)útil no “socialista, mas com liberdade”…

Enquanto isso, o que temos? O eleitorado não petista está fragmentado entre o próprio Crivella, Pedro Paulo, Índio da Costa, Carlos Osório e Flávio Bolsonaro. Juntos, somam nada menos de 61% das intenções de voto. Se quiserem tirar Crivella daí para juntar apenas os candidatos, digamos, laicos, eles somam 34% dos votos totais — sete pontos a mais do que os 27% de Crivella. E o tamanho do eleitorado de esquerda? Ora, 21%: 13% de Freixo, 6% de Jandira e 2% de Alessandro Molon (Rede).

Sim, conservado o quadro atual, com apenas 21% do eleitorado, a esquerda pode eleger o prefeito do Rio, contra 62% do eleitorado que não é de esquerda (incluindo aí a candidata do Partido Novo). Adivinhem se isso correria o risco de dar certo…

Continua após a publicidade

Socialismo é coisa de rico
O Datafolha publica a intenção de votos (números totais) segundo renda, escolaridade, idade etc. Vejam estes quadros:

Eleitores até dois salários mínimos

Rio totais 2 SM

Eleitores acima de 10 salários mínimos

rio totais 10 SM

Continua após a publicidade

Viram? Quem é o candidato que tem a maioria relativa do voto entre os mais ricos, com renda superior a dez salários mínimos? Ora, é o socialista Freixo. Entendo as razões. Essa gente sabe que o socialismo jamais virá. Por que não posar de progressista? O modelo, em tese, seria benéfico aos mais pobres, certo? Certo! Na camada que ganha até dois mínimos, o candidato do PSOL está em antepenúltimo lugar, com apenas 6%. Com a margem de erro, pode estar em último. Quem lidera entre os mais pobres? Crivella! Com 32%, seguido de Pedro Paulo, com 13%. Entre os mais ricos, o candidato do PRB tem apenas 8%. À medida que a renda vai subindo, o psolista vai crescendo: entre cinco e dez mínimos, ele já salta para 17%. Agora vejam dados sobre a escolaridade:

Eleitores com ensino fundamental

Rio totais fundamental

Eleitores com ensino superior

Rio totais superior

Continua após a publicidade

Entenderam? Socialismo é coisa muito complexa para ser entendida por quem tem apenas o ensino fundamental: só 3% votariam em Freixo; 37% preferem Crivella. Entre os universitários, a coisa inverte: o socialista lidera, com 23%, e o bispo cai para 9%. O marxismo é uma doença que acomete só as universidades brasileiras. Mais um pouco? Pois não! Vejam os votos segundo a faixa etária:

Eleitores de 16 a 24 anos

Rio totais 16 a 24 anos

Eleitores de 35 a 44 anos

rio totais 35 a 44

Continua após a publicidade

Freixo (22%) disputa o primeiro lugar com Crivella (24%) entre os jovens de 16 a 24 anos. Afinal, nessa idade, ainda não se costuma saber direito quem paga as contas e como é duro ganhar a vida. A exemplo de Marcelo Freixo!!! Já na faixa dos 33 a 44, que compreende parte do auge da vida produtiva, o socialista despenca para 6%.

Segundo turno
Sim, meus caros, o dano pode ser ainda maior do que o perigo. Num eventual segundo turno entre o candidato do PRB e do PSOL, a coisa fica bem perto do risco máximo: a diferença em favor de Crivella caiu de 22 para 5 pontos na comparação com o início da semana: 42% a 37%. SE ESSA TRAGÉDIA ACONTECER COM O RIO, NÃO DUVIDEM DE QUE A IMPRENSA COMPRA A CANDIDATURA DE FREIXO. E a extrema esquerda pode chegar à Prefeitura da cidade com apenas 13% dos votos — 21% se considerados os eleitores também do PCdoB. Contra íÍndio da Costa, passa a haver empate: 41% a 38% para Crivella; contra Pedro Paulo, 47% a 25%.

Rejeição
Os adversários de Crivella passaram a associá-lo à Igreja Universal, e isso pode ter contribuído para aumentar a rejeição a seu nome: ele lidera nesse quesito: 31% não votariam nele de jeito nenhum. Dizem o mesmo sobre Pedro Paulo 27%. Não votariam em Jandira 24%; em Freixo, 12%.

Religião
O voto religioso segue sendo a maior fortaleza de Crivella. Escolhem seu nome 48% dos evangélicos não pentecostais — apenas 7% ficam com Freixo. Entre os pentecostais, o bispo chega a 51% — só 1% para o candidato do PSOL. Crivella cai para 19% entre os católicos (lidera ainda assim), mas o psolista sobe para 11%. Pedro Paulo empata tecnicamente com o nome do PRB, com 15%.

SÍNTESE DAS SÍNTESES: ESTÁ NAS MÃOS DOS NÃO ESQUERDISTAS CORRER OU NÃO RISCO IMENSO DE ENTREGAR O RIO DE JANEIRO AO PSOL. DEPOIS NÃO ADIANTA RECLAMAR DA SORTE!

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.