Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Brasil sofre com faltas, erros e vaias e vence apertado

Por Giancarlo Lepiani, na VEJA.com: Foi suado e difícil, mas o Brasil passou no último teste antes do início da Copa do Mundo. Num amistoso truncado e com poucos lances bonitos, a seleção do técnico Luiz Felipe Scolari derrotou a Sérvia por 1 a 0, gol de Fred, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 03h43 - Publicado em 6 jun 2014, 20h18

Por Giancarlo Lepiani, na VEJA.com:
Foi suado e difícil, mas o Brasil passou no último teste antes do início da Copa do Mundo. Num amistoso truncado e com poucos lances bonitos, a seleção do técnico Luiz Felipe Scolari derrotou a Sérvia por 1 a 0, gol de Fred, no Estádio do Morumbi, em São Paulo. A equipe mostrou um futebol pouco empolgante, com muitos erros – e, desta vez, Neymar pouco conseguiu fazer. Mas o time soube lidar com as dificuldades, aguentou bem a pressão e não se abateu quando o público paulistano, famoso por ser sempre exigente, chiou com as falhas da seleção. O grupo de Felipão parece suficientemente maduro para lidar com a ansiedade e o nervosismo do primeiro jogo, na semana que vem. Felipão, entretanto, terá de aproveitar bem os últimos dias de preparativos para o começo da competição: seu time ainda mostra problemas no setor de marcação e tem tido pouca inspiração na armação das jogadas. A seleção viaja de volta ao Rio de Janeiro ainda na noite desta sexta, em voo fretado, mas a equipe só volta a trabalhar na Granja Comary no domingo: os jogadores ganham folga no sábado. Depois dos treinamentos do início da semana, a delegação retorna a São Paulo, aí para o jogo que realmente importa: a tão aguardada estreia na Copa, na quinta-feira, contra a Croácia, no Itaquerão.

A Sérvia deixou claro logo de cara que seria um jogo duro para o Brasil: poucos segundos depois do pontapé inicial, Tadic fez falta feia em Neymar. A seleção de Felipão evitou repetir os mesmos erros do início da partida contra o Panamá, quando custou a entrar em sintonia. Apesar de mostrar atitude e de entrar ligado na partida, o time tinha problemas para encontrar espaços e criar jogadas. Tanto que a melhor chance foi dos visitantes: aos 8 minutos, Kolarov chutou forte, acertando a rede pelo lado de fora. Neymar voltou a ser atingido duramente aos 14 minutos, por Petrovic, que levou o amarelo pela falta. Em seguida, aos 17, o camisa 10 aproveitou uma rara brecha na defesa sérvia e entrou na área para finalizar, mas acabou sendo bloqueado na hora do chute. O Brasil só voltou a levar perigo aos 24 minutos, quando Fred arriscou. Mas o problema que mais tem preocupado Felipão nos treinos na Granja Comary – a vulnerabilidade da equipe aos contra-ataques dos adversários – voltou a ser exposto aos 29: em uma jogada rápida pela esquerda, David Luiz cortou um cruzamento perigoso na pequena área. A seleção levou outro susto apenas dois minutos depois, desta vez numa jogada pela direita: Mitrovic recebeu o cruzamento mas cabeceou para fora.

O Brasil tentou reagir, com Hulk puxando o ataque pelo lado direito e Daniel Alves arriscando de fora da área, mas sem perigo para o goleiro Stojkovic. Aos 40, num dos poucos momentos em que Neymar teve espaço para se movimentar à vontade, a arrancada do craque parou na falta de Matic, na entrada da área. Se em Goiânia o próprio Neymar bateu a falta e abriu o placar, desta vez foi David Luiz que se apresentou para a cobrança, que saiu pelo alto. O Brasil errava muito tanto no ataque, com passes com defeito (principalmente de Oscar, muito mal no jogo, e Hulk), como na defesa – até David Luiz e Thiago Silva, cujas falhas são raras, trombaram e possibilitaram um ataque sérvio (a jogada foi interrompida por impedimento). Logo no lance seguinte, a defesa brasileira se atrapalhou na saída de bola, deixando o torcedor paulistano inquieto. E no minuto final da primeira etapa, surgiam as primeiras vaias à seleção – até aquele momento, os cerca de 67.000 presentes ao Morumbi apoiavam a equipe e gritavam os nomes de Neymar, Felipão e David Luiz.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.