Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Brasil pode ser o primeiro “Bric” a ter nota rebaixada por agências de classificação de risco

Na VEJA.com: O Brasil pode ser o primeiro entre os países do Bric (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China) a ter sua nota rebaixada pelas agências de classificação de risco. A avaliação aparece em texto publicado nesta quarta-feira pelo jornal britânico Financial Times com o título “As chances de um downgrade (rebaixamento) no Brasil”. […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 05h02 - Publicado em 6 nov 2013, 19h01

Na VEJA.com:
O Brasil pode ser o primeiro entre os países do Bric (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China) a ter sua nota rebaixada pelas agências de classificação de risco. A avaliação aparece em texto publicado nesta quarta-feira pelo jornal britânico Financial Times com o título “As chances de um downgrade (rebaixamento) no Brasil”. Ao citar analistas do banco britânico Barclays em São Paulo, a publicação diz que “muito possivelmente” o país pode ser o primeiro entre os grandes emergentes a ter a nota cortada. Se a economia nacional não crescer rapidamente e a situação fiscal continuar em deterioração, dizem os economistas, o downgrade poderia vir no início de 2014.

“Os resultados fiscais de setembro vieram muito mais fracos do que o esperado. O surpreendente resultado foi impulsionado principalmente por um forte aumento das despesas extraordinárias durante o mês, mas as receitas menores que o esperado também ajudaram a intensificar o déficit”, disseram os analistas Bruno Rovai e Marcelo Salomon, citados no texto da coluna “Beyondbrics”. “Continuamos céticos de que essa tendência poderá ser revertida especialmente considerando que as eleições serão realizadas em outubro do próximo ano”, completaram os analistas.

Como os demais economistas do mercado, os analistas do Barclays apontaram a queda do superávit primário e o aumento da dívida líquida do setor público como sinais de preocupação. Para Rovai e Salomon, o quadro “pode pavimentar o caminho para o rebaixamento da classificação soberana no início de 2014″.

Na mira
“A boa notícia para o Brasil é que ele não é o único Bric que está andando sobre o gelo fino. A Índia também é vista amplamente como uma candidata para o rebaixamento dos ratings”, diz a reportagem do FT.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)