Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Bovespa devolve “entusiasmo” de ontem e fecha em forte queda de 6,13%

Na Folha:A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) teve fortes perdas na jornada desta quarta-feira, acompanhando a derrocada das principais Bolsas mundiais. A “euforia” pré-eleitoral de ontem deu lugar ao tema corrente dos mercados: os desdobramentos da crise financeira sobre a “economia real” (setor produtivo e consumo). Hoje, os investidores digeriram uma bateria de […]

Por Reinaldo Azevedo
Atualizado em 31 jul 2020, 18h39 - Publicado em 5 nov 2008, 20h59
Na Folha:
A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) teve fortes perdas na jornada desta quarta-feira, acompanhando a derrocada das principais Bolsas mundiais. A “euforia” pré-eleitoral de ontem deu lugar ao tema corrente dos mercados: os desdobramentos da crise financeira sobre a “economia real” (setor produtivo e consumo). Hoje, os investidores digeriram uma bateria de balanços de empresas importantes, tanto no front externo quanto doméstico.
O termômetro da Bolsa, o Ibovespa, retraiu 6,13% no fechamento e bateu os 37.785 pontos. O giro financeiro foi de R$ 4,53 bilhões. Nos últimos sete pregões, a Bolsa chegou a acumular uma valorização de 36,8%.
Além das habituais ações líderes (Vale e Petrobras), os papéis do setor bancário continuam a chamar a atenção dos investidores. Hoje, a ação do Itaú foi o terceiro ativo mais negociado, registrando desvalorização de 8,76%. A “unit” (recibo de ações) do Unibanco caiu 10,90%. Anteontem, os dois bancos anunciaram a fusão de suas operações. A ação do rival Bradesco cedeu 7,55%
O dólar comercial foi cotado a R$ 2,119 para venda, em alta de 0,33%. A taxa de risco-país marca 458 pontos, número 3,15% acima da pontuação anterior.
O Banco Central realizou um leilão de “swap” cambial, em que os agentes financeiros tomaram US$ 475,6 milhões desses contratos, que oferecem proteção contra oscilações do câmbio. A autoridade monetária também voltou a oferecer moeda para bancos –no montante de US$ 2 bilhões- com o compromisso de que as instituições financeiras usem os recursos em financiamentos de comércio exterior. O BC ofereceu US$ 2 bilhões e aceitou 18 propostas dos bancos, no montante de US$ 1,453 bilhão.
“É um momento de calmaria muito relativo [no câmbio], que se deve somente porque o Banco Central entrado diariamente para criar condições de liquidez. Se não fosse o BC, essa cotação estava mais alta”, comenta Cristiano Zanuzo, diretor de câmbio da corretora Renova. “Realmente, tudo o que já foi feito até agora [pelos bancos centrais] ajudou bastante, mas não resolveu os problemas por conta dessa crise”, acrescenta.
As Bolsas européias concluíram os negócios em terreno negativo, a exemplo de Londres (baixa de 2,34%) e Frankfurt (recuo de 2,10%). Nos EUA, a Bolsa de Nova York perde 4,50%, ainda em operação.

Empresas
Entre as principais notícias do dia, a TIM Participações anunciou um lucro líquido de R$ 22,5 milhões no terceiro trimestre ante um prejuízo de R$126,9 milhões no terceiro trimestre de 2007 e de R$ 34,1 milhões no segundo trimestre deste ano. A ação da holding perdeu 8,25%.
O câmbio fez mais uma ‘vítima’ entre as empresas brasileiras, após as perdas bilionárias da Sadia e Aracruz. A Braskem apurou prejuízo de líquido de R$ 849 milhões no terceiro trimestre deste ano, ante um lucro de R$ 132 milhões em idêntico período em 2007. Segundo a Braskem, o balanço teve um impacto cambial de R$ 1,351 bilhão no terceiro trimestre. A ação da gigante do setor petroquímico sofreu baixa de 6,40%.
Já a Gerdau registrou lucro líquido de R$ 1,42 bilhão no terceiro trimestre deste ano, forte alta de 37,2% em relação ao lucro registrado no mesmo período do ano passado (R$ 1,035 bilhão). O papel do grupo siderúrgico recuou 10,03%.
E ontem à noite, a rede varejista Pão de Açúcar revelou um lucro líquido de R$ 82,5 milhões no terceiro trimestre de 2008, com alta recorde de 137% sobre o desempenho do mesmo período do ano passado. A ação retraiu 1,24%.
“[Os resultados] foram tão bons quanto possível e nós esperamos que permaneçam positivos no curto prazo. A CBD continua a ser nossa ‘top pick’ [sugestão principal], sendo mais defensiva e com um fluxo de notícias mais positivo do que o restante das empresas do setor de consumo”, avalia a analista Juliana Rozenbaum, da corretora Unibanco, em avaliação sobre os resultados da empresa.
No front externo, o grupo ArcelorMittal, o maior produtor siderúrgico do mundo, informou um lucro líquido nos nove primeiros meses do ano de 7,906 bilhões de euros (cerca de US$ 10,12 bilhões), um aumento de 33,97% com relação ao ano anterior.
Já o banco francês BNP Paribas admitiu uma queda de 55,6% no lucro do terceiro trimestre –para 901 milhões de euros (cerca de US$ 1,15 bilhão)– na comparação com o resultado para o mesmo período no ano passado. Segundo a instituição, o recuo ocorreu devido a provisões maiores vinculadas à crise financeira.

EUA
A consultoria Challenger, Gray & Christmas informou que o corte de vagas nas empresas dos Estados Unidos subiram 19% em outubro e alcançaram o maior nível desde janeiro de 2004.
Já o índice ISM, relativo ao setor de serviços, apontou 44,4 pontos em outubro ante uma leitura 50,2 registrado em setembro. Economistas do mercado financeiro projetam uma leitura de 47,8 pontos.


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.