Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Advogado explica por que STF deve mandar soltar terrorista italiano

Por Andréia Sadi, do estadao.com.br:O problema da decisão do governo brasileiro sobre o italiano Cesare Battisti é fato de ela ter sido tomada por alguém que exerce um cargo político, e não técnico, no País – o ministro da Justiça, Tarso Genro. A avaliação é do advogado e mestre em Direito Internacional, Bruno Yepes Pereira. […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 18h16 - Publicado em 27 jan 2009, 18h04
Por Andréia Sadi, do estadao.com.br:
O problema da decisão do governo brasileiro sobre o italiano Cesare Battisti é fato de ela ter sido tomada por alguém que exerce um cargo político, e não técnico, no País – o ministro da Justiça, Tarso Genro. A avaliação é do advogado e mestre em Direito Internacional, Bruno Yepes Pereira. Para ele, a lei de concessão do benefício de refugiado no Brasil tem vícios e precisa ser alterada.
Isso porque ela determina que o ministro da Justiça pode contestar as decisões do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), o órgão público responsável por conceder o benefício. De acordo com a lei, à decisão do Conare – composto por cinco ministérios, Polícia Federal, ONGs e organizações ligadas à ONU – cabe recurso do ministro, mas ninguém pode contestar a decisão dele. “Da decisão do ministro, não cabe recurso, porque ele é o órgão administrativo que o governo escolheu para dizer quem é e quem não é refugiado”, explicou.
“É necessário um novo projeto para modificar alguns aspectos dessa lei de concessão do benefício de refugiado. Porque ela acaba repousando a palavra final sobre a concessão nas mãos de alguém que exerce um cargo político, que vai agir ao sabor da política”, disse. Para alterar a lei, seria necessário que um deputado federal ou senador criasse um novo projeto de lei. Ou que o Supremo Tribunal Federal contestasse a constitucionalidade dela.

STFYepes explicou que, de acordo com a legislação brasileira, o STF não pode contestar a decisão de Tarso de outra forma, pois o Judiciário não pode contestar os atos do Executivo. “A decisão do ministro da Justiça é soberana dentro de um Estado de Direito”, disse. “O STF está seguindo o que está na lei.”Segundo ele, se o ministro da Justiça declarou que Battisti é refugiado e, pelas leis brasileiras, um refugiado não pode ser extraditado, a única coisa que o procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, pode fazer é determinar o arquivamento do processo de extradição, o que deve ser acatado pela STF.Assim que Supremo arquivar o processo, ele deve determinar o alvará de soltura para o italiano. “Com o arquivamento do processo, deixa de existir o motivo para a prisão, que era o processo de extradição”, afirmou.Battisti, ex-militante da organização Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro homicídios cometidos na década de 70. Ele foi detido no Rio de Janeiro em março de 2007.


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.