Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Adeus às armas? Só estou começando…

Eu mal posso esperar o momento em que o Lula, eventualmente reeleito, vai nos chamar a todos para a união nacional em nome dos supremos interesses da nação. Já há gente falando nisso. Também na imprensa. É claro que os governadores eleitos pela oposição — na verdade, contam apenas dois: Serra e Aécio (ou um, […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 23h05 - Publicado em 22 out 2006, 07h53
Eu mal posso esperar o momento em que o Lula, eventualmente reeleito, vai nos chamar a todos para a união nacional em nome dos supremos interesses da nação. Já há gente falando nisso. Também na imprensa. É claro que os governadores eleitos pela oposição — na verdade, contam apenas dois: Serra e Aécio (ou um, já digo por quê) — vão ter de baixar a bola, deixando para a Justiça e para a chamada sociedade civil a necessária pressão para que os petistas sejam punidos por seus crimes. É mentira essa história de que o país é uma federação. Há um limite para a oposição do chefe do Executivo estadual. Ou quebra a cara. Entre o PT e o PCC, a prioridade de Serra, por exemplo, terá de ser combater o segundo partido, claro. Sem deixar de ser uma liderança nacional.

Por que eu digo que, de fato, conta só um governador? Porque Serra será a novidade no novo cenário. Nós já sabemos como atua Aécio. Em 2004, por exemplo, mesmo sendo um governador extremamente popular, abriu mão de enfrentar para valer o PT em Belo Horizonte. Até as eleições de 2008, haverá um relativo armistício com os governos estaduais de oposição. O que fará Minas? Vamos ver. São Paulo tem uma candidata certa à Prefeitura: Marta Suplicy, do PT. Já está em campanha. Por aqui, com efeito, a disputa já começou. O PT e Lula virão com tudo.

Mas o que fazer até o clima eleitoral incendiar de novo as paixões? Eu me confesso disposto a estender a mão a Lula. Para lhe indicar o caminho de volta a São Bernardo. Ou, então, ele que meta na cadeia a canalha que tentou dar um golpe nas eleições. Quando digo “ele”, sei bem que a tarefa é da Justiça. Ocorre que o Apedeuta é o líder inconteste dos “aloprados”. Tem como saber o que aconteceu. A menos que esteja impedido de dizer a verdade. É no que acredito. Sendo assim, tem de ser impedido também de governar.

Digamos que seja reeleito com os números que lhe dão hoje as pesquisas: os 40% que não coonestam a bandalheira terão de voltar os olhos para a Justiça Eleitoral. Se Lula nos obrigar a fazer a escolha entre o resultado das urnas e as leis, só há uma escolha ética: as leis. Porque Lula é só o que passa. Elas ficam. Qualquer político, diga-se, que consegue pôr em rota de colisão as eleições e uma constituição democrática é candidato a ditador, não a governante.

Nos palanques, Lula costuma dizer que ele e os petistas estão mais experientes, que não cometerão certos erros no segundo mandato. Bobagem! O maior problema do petismo não foi a inexperiência administrativa — ainda que tenham produzido desastres na Agricultura, na Saúde e na Reforma Agrária, para citar três áreas. A deficiência fundamental do PT não se corrige com o tempo, só se agrava: é, no que diz respeito ao coletivo, ética e, no que diz respeito aos indivíduos, moral. As facilidades do poder só lhes açulam as vontades, que nascem da ausência de princípios.

O PT está condenado a repetir os mesmos erros — “não aprenderam nada; não esqueceram nada”, lembram-se? Porque continuará a ser o partido que aparelha o Estado, as estatais e os fundos de pensão; continuará a ser o partido que não divisa o bem do mal e o legal do criminoso desde que precise cumprir uma tarefa; continuará a ser o partido da nova classe social dos capitães do sindicalismo, que revestem com a ideologia da reivindicação os privilégios que vão conquistando como nomenklatura cabocla. Leiam a Veja e perguntem ao Lulinha.

Continua após a publicidade

Eu estender a mão para isso??? Mas não há perigo! Se me virem agarrado com algum petista, separem, que é briga. Se ele cochilar, arranco-lhe um dos dedos com uma dentada rá, rá, rá. Já disse: o problema dos líderes desse partido não é falta de dedos, mas excesso.

PS: Domingo pede cachimbo… Tenho algumas obrigações familiares. Estou por aí. E, de vez em quando, aqui.

PS 2 – Ah, sim: a petralhada agora deu para mandar comentário na linha: “Ainda bem que Lula vai ganhar. Ou o Diogo e você falariam do quê?”. Besteira. A gente já tinha começado a revisar a Enciclopédia, do Diderot. Iria ficar bem mais divertida. Mas interrompemos o projeto. Isso é uma espécie de lobby para ver se a gente deixa Lula de lado. Depois vou telefonar pro Diogo só pra me certificar. Eu, com absoluta certeza, continuarei a encher o saco do Babalorixá de Banânia. E acho que ele também. Ademais, vejam só: entre junho de 2005, quando estourou a crise do mensalão, e setembro deste ano, com a do dossiê, passaram-se meros 15 meses. E com alguns outros escândalos no meio… O PT é a alegria da crônica lacerdista, reacionária, conservadora, direitista, golpista, elitista, preconceituosa, autoritária, prepotente e rancorosa: isso que fazemos. Petistas, quanto tempo vocês acham que vai demorar para que vocês nos dêem motivos novos? Não esqueceram nada. Não aprenderam nada.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.