Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Wagner pede desculpas ao PP após anunciar candidatura do PT na Bahia

O senador petista se dirigiu ao vice-governador João Leão, que sinalizou a possibilidade de quebrar a aliança e se juntar a ACM Neto

Por Gustavo Maia Atualizado em 10 mar 2022, 20h34 - Publicado em 9 mar 2022, 16h45

Dois dias depois de anunciar em uma entrevista que o PT terá candidato próprio ao Governo da Bahia e que o governador Rui Costa continuará no cargo até o final do mandato, o senador Jaques Wagner pediu desculpas publicamente nesta quarta-feira ao vice-governador João Leão, ao deputado federal baiano Cacá Leão e à “família do PP”.

Mais cedo, o partido, que é um dos principais aliados dos petistas no Estado, ameaçou romper a parceria e até pular no barco do barco do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União Brasil), maior adversário do PT na eleição deste ano e favorito nas pesquisas de intenção de voto.

A sinalização pela quebra da aliança foi dada justamente por João Leão, que é presidente do PP na Bahia. Ele se reuniu em Brasília com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, presidente licenciado do PP, e o presidente da Câmara, Arthur Lira (AL), um dos cabeças do partido e aliado do presidente Jair Bolsonaro. Em caso de apoio a ACM Neto, o nome do próprio Leão é cogitado como possível candidato ao Senado.

A retratação de Wagner foi gravada em vídeo, em entrevista ao editor do site BNews, Victor Pinto, nos corredores do Senado, em Brasília.

“Tentei construir uma solução, que eu tenho certeza que mora no coração deles, apesar do sentimento do momento, que é a gente continuar a nossa relação de 14 anos. Então, Leãozinho, me desculpe, Cacá, mas eu tô aqui pra voltar a conversar. Não deu certo, não deu tempo, não foi desatenção, eu tinha que anunciar porque a gente tava sem caminho, e eu fui anunciar, como fundador do grupo um caminho”, declarou o ex-governador, que recentemente desistiu da candidatura à sucessão de Rui Costa.

“E agora eu continuo disposto a continuar com o PP dentro da aliança. É essa a minha vontade, a vontade de Rui, é a vontade do PT, do grupo inteiro”, complementou o senador petista.

“Após as declarações do senador Jaques Wagner, em entrevista no início da semana, descumprindo alinhamentos construídos fruto de amplo diálogo, o PP da Bahia precisa refletir sobre seu futuro nas eleições”, disse João Leão pela manhã, em nota.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)