Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Temer não vai a lançamento de Simone Tebet ao Planalto

O ex-presidente gravou um vídeo para sugerir que a campanha da senadora explore os feitos do seu governo

Por Gustavo Maia 8 dez 2021, 12h06

O ex-presidente Michel Temer não compareceu na manhã desta quarta-feira ao evento de lançamento de Simone Tebet como pré-candidata do MDB à Presidência da República, em Brasília, mas enviou um vídeo no qual pouco falou da senadora e sugeriu que ela exalte os feitos do seu governo na campanha eleitoral dela.

Em declarações recentes, Temer tem sinalizado que poderia se candidatar ao Palácio do Planalto se houvesse um clamor por seu nome. “Se um dia, vários setores da sociedade, uma parte do Brasil diz: ‘tem que ser você’, ‘você é a solução’. Quem sabe?”, declarou o emedebista de 81 anos nesta terça, em um seminário.

“Convidado pelo presidente Baleia Rossi para comparecer a este momento festivo do nosso MDB, em que se lança pré-candidata a senadora Simone Tebet, em primeiro lugar eu quero desejar a ela todo o sucesso e uma campanha muito eficiente”, afirmou o ex-presidente no início da sua fala gravada, durante o ato do MDB.

“Mas eu tomo a liberdade, já que estou falando agora aos amigos do MDB […] e dizer a todos que, na verdade, nós temos discurso para qualquer momento da campanha. E quero apenas recordar, permitam-me fazê-lo, recordar a história do MDB, porque de vez em quando nós vamos nos esquecendo dela”, disse Temer, relembrando a atuação do partido na redemocratização do país e o “programa do leite” do governo José Sarney, além do apoio da legenda no Congresso a pautas como a responsabilidade fiscal e o Plano Real.

Na sequência, ele passou a exaltar os feitos do período em que ocupou a Presidência, após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, entre 2016 e 2018:

“Também não podemos nos esquecer, convenhamos, quando nós assumimos o governo, senadora Simone, nós produzimos reformas fundamentais para o país. Eu quero falar do teto de gastos públicos, que eu tenho sustentado a todo momento, a reforma trabalhista, a reforma do ensino médio, a recuperação das estatais, a queda da inflação, a queda dos juros, a preservação do meio ambiente — você sabe que nós fizemos a maior reserva marinho que o mundo conhece. E eu estou tomando a liberdade de sugerir esses fatos para que, na campanha eleitoral, a campanha não seja apenas em nome de um candidata da melhor suposição, mas que seja em cima de um programa, do que se fez e do que se fará. É isto que o Brasil precisa”, afirmou.

Temer também “tomou a liberdade” de sugerir aos correligionários e a Simone que preguem “um pouco a pacificação do país”.

“Eu tomo a liberdade de fazer essas ponderações porque, não estando presente presencialmente, eu não poderia deixar de lançar essa mensagem aos companheiros do MDB. Muito sucesso”, concluiu, sem apontar o motivo da sua ausência no evento.

Continua após a publicidade

Publicidade