Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Relatora faz voto duro e mantém prisão de Silveira: ‘discurso de ódio’

Magda Mofatto (PL-GO) disse que imunidade parlamentar não aceita incitação a autoridades públicas, como declarou o deputado

Por Evandro Éboli 19 fev 2021, 18h22

Num voto contundente, a relatora Magda Mofatto (PL-RJ) se manifestou a favor da manutenção da prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ).

Escolhida para relatar o caso na última hora, em substituição da Carlos Sampaio (PSDB-SP), Mofatto confirmou o inteiro teor da decisão de Alexandre de Moraes, confirmada pelo plenário do STF.

Ela repetiu trechos ditos por Silveira no vídeo com ataques ao STF, incluindo todos os palavrões e xingamentos.

A relatora classificou o conteúdo do vídeo como “propagação do ódio” e disse ser inaceitável defender a ditadura. Lembrou frase de Ulysses Guimarães que ditadores causam “ódio e nojo”.

Disse a relatora sobre os ataques do deputado aos ministros do tribunal:

“Ameaça é crime de toda forma. É inaceitável intimidar ministros do STF e a integridade física. É cristalina a intenção de criar animosidade entre as Forças Armadas e o Supremo. Foram palavras chulas”, disse a relatora no seu voto.

“A liberdade de expressão e a imunidade não alcançam a incitação a atentados contra autoridades públicas”.

Continua após a publicidade

Publicidade