Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PT e PSB querem pedir ao TSE maior prazo para definir federação

Data máxima fixada pela Corte é 1º de março, mas partidos ainda não chegaram a acordo sobre candidaturas em estados, principalmente SP e PE

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 20 jan 2022, 18h03 - Publicado em 20 jan 2022, 16h20

Após reunião entre as direções nacionais do PT e do PSB na manhã desta quinta, as legendas definiram que querem encaminhar ao TSE um pedido para que seja ampliado o prazo para a formação de uma eventual federação entre partidos de esquerda e centro-esquerda.

Por ora, a data fixada pela Corte para que as siglas decidam pela configuração é o dia 1º de março. Além de PT e PSB, entrariam na aliança o PV e o PCdoB.

No encontro, estiveram presentes os caciques Gleisi Hoffmann (PT) e Carlos Siqueira (PSB), o secretário-geral do PT e deputado federal Paulo Teixeira, o governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB) e o ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB) — grande articulador da possível chapa Lula-Alckmin (este último ainda sem partido).

O principal entrave para que o acordo sobre a federação seja fechado, no entanto, ainda é a definição de candidaturas em estados-chave, principalmente São Paulo e Pernambuco.

Siqueira deixou claro nesta quinta que o partido já vai apoiar candidatos petistas na Bahia, Sergipe, Piauí e Rio Grande do Norte, com “palanque a oferecer” no Maranhão e em Alagoas — e que é preciso haver uma contrapartida.

“Há que se ter reciprocidade na construção da unidade política. Vamos iniciar com o PT uma rodada de reuniões nos Estados para aprofundar o debate sobre os nomes aos governos estaduais”, disse o cacique.

No caso de São Paulo, o PT não quer abrir mão de lançar Fernando Haddad e nem o PSB quer abrir mão de França na disputa ao Palácio dos Bandeirantes.

Já no caso de Pernambuco, apesar de ainda indefinida, a questão pode ser um pouco mais simples. O PT já disse que vê o senador Humberto Costa como um bom nome e a própria presidente do partido Gleisi Hoffmann declarou que o virtual candidato do PSB no estado não está inclinado a concorrer.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês