Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

PT diz que será aliado de ‘todos’ que decidirem enfrentar Bolsonaro

O revelar que deseja fazer aliança com partidos de esquerda, progressistas e democráticos, petismo abre caminho para siglas de centro

Por Robson Bonin Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 24 mar 2022, 17h55 - Publicado em 24 mar 2022, 17h47

A cúpula do PT divulgou um texto nesta quinta em que amplia a possibilidade de alianças do partido nestas eleições. Sem diferenciar partidos, o petismo diz que será “uma aliado” de “todas e todos que decidirem pelo enfrentamento a Bolsonaro como prioridade política”.

A carta, claro, cai por terra ao se constatar que o petismo, com sua amplitude de espírito, estaria disposto a se aliar a Sergio Moro, Ciro Gomes, João Doria e outros nomes que tentam derrubar Bolsonaro do poder. Não é crível, mas segue o discurso petista. Ele é aliado de todos contra Bolsonaro desde que todos digam amém a Lula. Diz o partido:

Todas e todos que decidirem pelo enfrentamento a Bolsonaro como prioridade política dos próximos meses terão no PT um aliado para aquela que será a eleição mais importante que já enfrentamos. Conclamamos a unidade dos setores democráticos ao redor não apenas de uma candidatura à presidência da República, mas também de um movimento político e social que derrote o neoliberalismo, Bolsonaro e o bolsonarismo, aquele que é o principal vírus em circulação na política brasileira desde 2018, para construir um país soberano, justo, democrático e com sustentabilidade”.

O partido amplia sua possibilidade de alianças para siglas de centro, que estiveram contra o PT no governo de Michel Temer e que flertaram com o bolsonarismo em 2018, ao pregar que “as convergências existentes entre os partidos de esquerda, progressistas e democráticos devem resultar na constituição de uma federação partidária em que nós, o PCdoB e o PV façamos parte”.

“Esta federação apresentará ao Brasil o nome de Lula para liderar a oposição a Bolsonaro, consolidará a coligação com o Partido Socialista Brasileiro, bem como com a federação PSOL-Rede, cuja criação saudamos. Ainda seguiremos dialogando com os outros partidos de oposição ao governo Bolsonaro no sentido da ampliação do campo de apoio à candidatura de Lula”, diz o petismo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.