Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Projetos pessoais dificultam união na terceira via, diz ACM Neto

'É difícil você pensar numa candidatura única quando os partidos estão divididos internamente', diz o candidato do União Brasil ao governo da Bahia

Por Robson Bonin Atualizado em 19 abr 2022, 19h20 - Publicado em 19 abr 2022, 13h30

Candidato ao governo da Bahia pelo União Brasil, ACM Neto analisou nesta terça, numa entrevista à imprensa baiana, os desafios da terceira via nessa construção de uma candidatura presidenciável de centro.

Para o pré-candidato do União Brasil, a possibilidade desse campo seguir unido na disputa ao Planalto é cada vez menor. Os projetos pessoais e até vaidades impedem, na avaliação de Neto, uma composição.

“Hoje, realmente eu não sei se é possível enxergar uma união desses nomes (da terceira via), porque desde o princípio a gente percebeu que os projetos pessoais, as vaidades pessoais, elas estão muito presentes, né? Então, para ter uma alternativa para desfazer a polarização, todo mundo tinha que abrir mão”, diz Neto.

“Todo mundo renuncia às suas candidaturas e escolhe um nome de consenso ou um dos que já estão aí ou um nome novo que pudesse surgir. Eu, pelo que conheço dos bastidores da política, não sou muito otimista em relação a essa perspectiva”, diz.

Neto citou as divisões no MDB, onde uma ala luta por Tebet e outra quer estar com Lula, assim como a briga no PSDB, onde Eduardo Leite tenta virar a mesa depois de ter perdido as prévias para João Doria.

“Não vejo isso tão concreto. Agora, vamos ver, porque ainda tem muita coisa para acontecer até as convenções partidárias que vão ocorrer no final de julho. Na verdade, é difícil você pensar numa candidatura única quando os partidos estão divididos internamente”, segue o ex-prefeito de Salvador.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)