Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Primeiro documento da Acarajé já fazia menção a campanhas

Os delegados e procuradores da Lava-Jato tomaram cuidado, durante a entrevista coletiva concedida para esmiuçar a Acarajé, de dizer que seu foco não é crime eleitoral — cuja apuração não cabe à força-tarefa nem à Justiça Federal no Paraná. Mas a representação em que o delegado Felipe Pace solicita ao juiz Sergio Moro as medidas […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 23h29 - Publicado em 22 fev 2016, 17h02
bilhetemonica

Bilhete de Monica Moura a Zwi Skornicki

Os delegados e procuradores da Lava-Jato tomaram cuidado, durante a entrevista coletiva concedida para esmiuçar a Acarajé, de dizer que seu foco não é crime eleitoral — cuja apuração não cabe à força-tarefa nem à Justiça Federal no Paraná.

Mas a representação em que o delegado Felipe Pace solicita ao juiz Sergio Moro as medidas cautelares contra João Santana, Monica Moura e demais investigados faz a ligação entre os desvios da Petrobras e campanhas eleitorais.

“O estado avançado das investigações da Operação Lava-Jato, mesmo no estágio inicial desta apuração, já havia comprovado que uma das formas pelas quais as empresas obtinham seus contratos juntos à Petrobras se dava mediante o pagamento de vantagem indevida aos partidos políticos”, diz o delegado.

E continua: “Estes recursos espúrios eram, conforme também comprovado, empregados, principalmente, em despesas de campanhas eleitorais. A notória área de atuação de João Santana Filho sugeria que os pagamentos realizados por Zwi e BrunoO Skornick e pela Odebrecht consubstanciavam-se em “propina” travestida de gastos com publicidade, tratando-se, em síntese, de lavagem dos recursos obtidos criminosamente junto as empresas contratadas pela Petrobras”.

Ele sustenta que Monica Moura, mulher e sócia de Santana, demonstrou ter plena ciência da origem ilícita dos recursos ao dar instrições para Zwi Skornicki, operador do estaleiro Keppel Fels, sobre depósitos que deveriam ser feitos no exterior.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês