Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Plenário da Câmara vota cassação de Flordelis nesta quarta-feira

Acusada de mandar matar o marido, ela enviou uma carta pedindo "uma chance" aos colegas

Por Gustavo Maia Atualizado em 10 ago 2021, 21h16 - Publicado em 11 ago 2021, 07h30

Está na pauta desta quarta-feira no plenário da Câmara dos Deputados a votação da cassação do mandato da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), denunciada pelo MP-RJ pelo assassinato do próprio marido, em junho de 2019. Ela é acusada de ser a mandante do crime.

A depender do resultado do Conselho de Ética, este tende a ser o último dia da Flordelis na Câmara. Em junho, o relatório que recomendando a perda do seu mandato foi aprovado por 16 a 1.

Nas redes sociais, a deputada se disse confiante que os colegas “não irão ceder a esses apelos sensacionalistas da mídia”. Ela afirma que é inocente e não teve participação na morte do marido.

Na noite desta terça, Flordelis enviou uma carta aos outros 512 deputados para pedir “uma chance”.

“Uma chance para que eu possa me defender de um processo injusto de homicídio do meu próprio marido. Uma chance para que eu possa cumprir o mandato que eu fui  legitimamente eleita. Uma chance para que minha dignidade seja, um dia, restabelecida”, escreveu.

Pastora evangélica, ela disse ter 60 anos de idade e relatou a própria história de vida, que como evangelizadora acolheu crianças e adolescentes que estão na rua.

A deputada reclamou que, até o momento, não foi julgada de forma justa e afirmou ter sido “escrachada pela juíza, pelos promotores e pelos policiais”.

“Tenho sofrido muito desde que perdi meu marido. Desde que o fato aconteceu, aos poucos, tenho recebido informações muito dolorosas sobre ele, sobre o que acontecia na minha casa, sobre minhas filhas e filhos. Tem sido terrível essa experiência. Não posso julgar ninguém pelos fatos que aconteceram. Mas, a única certeza que tenho é que não matei, não mandei matar, não conspirei para a morte do meu marido”, declarou Flordelis.

Antes do fim da mensagem, ela ainda disponibilizou os telefones de seus três advogados para os que quiserem tirar qualquer dúvida sobre o processo. “Por favor me ajudem a lutar contra uma grande injustiça. Deus abençoe cada uma e cada um de Vossas Excelências”, concluiu.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês