Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

PF deflagra ação contra exploração sexual em garimpos na Terra Yanomami

As investigações começaram após o resgate de uma adolescente de 15 anos na última terça-feira

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 18 mar 2023, 09h19

A Polícia Federal deflagrou na manhã deste sábado uma operação para investigar e prender suspeitos de envolvimento com uma organização criminosa que promoveu exploração sexual de mulheres e adolescentes para em garimpos ilegais na Terra Indígena Yanomami. Os agentes cumprem quatro mandados de busca e apreensão e quatro de prisão temporária em Boa Vista, capital de Roraima, que foram expedidos pela Vara de Crimes contra Vulneráveis da Justiça do Estado.

As investigações começaram após o resgate de uma adolescente de 15 anos na última terça-feira, que foi cooptada pelos criminosos como cozinheira, mas forçada a se prostituir. A PF identificou pessoas que estariam envolvidas na logística e na operacionalização do esquema.

“Por meio de perfis falsos em redes sociais, os aliciadores fariam o contato com mulheres e adolescentes, ofertando a possibilidade de trabalharem no garimpo nas mais variadas áreas (inclusive na prostituição) com promessa de ganhos irreais. Após serem convencidas, um motorista à serviço do grupo criminoso buscaria as vítimas aliciadas, levando-as até uma pista clandestina, onde eram transportadas por avião até a área do garimpo. Lá chegando, em condições de extrema precariedade, as vítimas eram informadas e cobradas pelos custos do transporte, que custaria até 10 mil reais, gerando, a partir daí, uma dívida inicial com os gerentes do grupo criminoso”, informou a corporação neste sábado.

O sustento das vítimas, desde a alimentação até a moradia, seria então cobrado pelos aliciadores, para impedi-las de saírem do local enquanto não quitassem as dívidas cada vez maiores. As mulheres e jovens chegavam a realizar até 15 programas por noite, além de sofrerem ameaças caso não quisessem se prostituir.

Continua após a publicidade

Segundo a PF, os principais suspeitos de envolvimento direto com a ação são duas irmãs e o marido de uma delas.

Vítimas e pessoas que saibam de situações semelhantes podem denunciar anonimamente à PF em Roraima por meio do telefone (95) 3621-1500 ou na Superintendência da corporação no Estado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.