Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Petistas celebram prisão de Queiroz, mas evitam citar que foi em Atibaia

Um sítio na cidade foi a razão da segunda condenação de Lula

Por Evandro Éboli Atualizado em 18 jun 2020, 12h17 - Publicado em 18 jun 2020, 11h05

Logo que correu a notícia da prisão de Fabrício Queiroz, os petistas foram para as redes sociais celebrar o feito. Criaram até o #contatudoqueiroz.

Mas vários deles evitam dizer que a prisão se deu em Atibaia, no interior de São Paulo, de péssima memória para os filiados, simpatizantes e militantes do partido.

Foi um sítio em Atibaia, e seu usufruto,  que gerou a segunda condenação do principal líder do partido, o ex-presidente Lula, por 17 anos de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, comemorou, mas passou longe de citar a cidade.

“Queiroz estava escondido num imóvel de Frederick Wasseff, advogado da família Bolsonaro. Flavio, o senador, disse no ano passado que desconhecia o paradeiro de Queiroz! E agora?”, postou a petista.

Continua após a publicidade

Rogério Carvalho, líder do PT no Senado, fez, até o momento, seis postagens sobre a prisão de Queiroz, mas pergunte se citou Atibaia. Não citou. Escreveu que a família Bolsonaro está em desespero e provoca as redes bolsonaristas, mas ignora o local da detenção do ex-funcionário de Flávio Bolsonaro e amigo de longa data do presidente.

O líder do PT na Câmara, deputado Enio Verri, também foge do nome Atibaia.

“Então, o desaparecido Queiroz estava na casa do advogado de Bolsonaro, que declarou, em 2019, não saber a do paradeiro do ex-assessor do então deputado estadual, Flávio Bolsonaro. Senta que lá vem história para desembaraçar esse novelo” – foi um dos três comentário de Verri.

A deputada Margaria Salomão (PT-MG) foi uma das exceções.

“Escândalo. Fabrício Queiroz foi preso em Atibaia, na casa do advogado Frederick Wassef”.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)