Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PDT de Ciro Gomes entra no TSE contra o aplicativo Bolsonaro TV

O app controlado pela família de Jair Bolsonaro reúne em uma só plataforma todas as postagens das redes sociais do presidente e de seus filhos

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 25 jan 2022, 16h51 - Publicado em 25 jan 2022, 16h47

O PDT entrou no TSE para tentar tirar do ar o aplicativo Bolsonaro TV, uma plataforma na internet que promete reunir em um só lugar todo o conteúdo produzido para as redes sociais do presidente e de seus filhos Flávio, Carlos e Eduardo.

Nesta segunda, o presidente divulgou o aplicativo em seu perfil oficial no Twitter. O presidente do PDT, Carlos Lupi, argumenta na ação ao tribunal eleitoral que há suspeita de abuso de poder econômico por não estar esclarecido quem financia o site. Nas lojas virtuais da Apple e do Google, onde o app pode ser baixado gratuitamente, há a informação de que o desenvolvedor da aplicação é Rogério Cupti, que é funcionário do gabinete de Carlos Bolsonaro.

“Apesar de o anúncio feito pelo presidente apenas no início deste ano, o aplicativo já vem sendo avaliado por usuário desde o mês de julho de 2021. Ainda, constata-se do histórico de versões na página do aplicativo, na Appstore, que a versão 1.5.0 remonta há oito meses atrás, bem como a versão 1.5.2, que apresentou melhoria de desempenho e correção de bugs, ocorreu há sete meses atrás”, diz o PDT.

Por fim, o partido de Ciro Gomes disse que há o risco de o aplicativo automatizar a prática do presidente e de seus filhos de difundirem fake news e disse que o app pode ter sido criado com dinheiro de caixa 2 de campanha eleitoral.

“Bolsonaro potencializará a difusão do arsenal de fake news arquitetado pelo presidente da República e por todos aqueles da sua estirpe, em ordem a macular a integridade do regime democrático. Todo esse arsenal profanador dos princípios estruturadores do direito eleitoral e da administração pública, muito provavelmente foi construído por meio de financiamento através de fontes vedadas nesse período de pré-campanha, bem como também de ‘caixa 2’, o que também pode evidenciar a ocorrência de abuso de poder econômico”, diz o PDT.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês