Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

OAB vai ao STF contra operação que atingiu escritórios de advocacia

Entidade diz que juiz Marcelo Bretas, da Lava-Jato, não tinha competência para autorizar medidas e receber denúncia

Por Mariana Muniz Atualizado em 17 set 2020, 19h21 - Publicado em 17 set 2020, 16h31

Cinco conselhos de seccionais da OAB foram ao Supremo Tribunal Federal nesta quarta-feira para questionar a Operação E$quema S, que investiga supostos desvios do Sistema S feitos por importantes escritórios de advocacia, autorizada pelo juiz federal Marcelo Bretas.

A ação chama de “ilegais, inconstitucionais e abusivas” as decisões tomadas na operação por Bretas, juiz responsável pela Lava-Jato do Rio. Segundo as entidades, houve violação das atribuições funcionais da Procuradoria-Geral da República e usurpação da competência do STF.

Trocando em miúdos, alegam que o magistrado decretou, “sem competência para tanto e com violação da garantia do devido processo legal, a realização de buscas e apreensões criminais nos endereços profissionais (escritórios de advocacia) e residenciais” dos advogados, “sem a observância de seus direitos, garantias e prerrogativas, o que justifica a propositura da presente ação”.

Segundo as entidades, o MPF do Rio fez um “malabarismo jurídico para estabelecer a qualquer custo a competência da Justiça Federal de Primeiro Grau”.

Isto porque, segundo as entidades apontam, entre os diversos advogados denunciados, encontram-se parentes e pessoas alegadamente relacionadas a ministros do Tribunal de Contas da União e do Superior Tribunal de Justiça, “havendo expressa acusação no sentido de que tais advogados teriam sido contratados pelas entidades referidas a pretexto de influir em atos praticados por ministros do STJ e do TCU”. E lembram, também, que as entidades do sistema S têm foro na Justiça estadual, e não Federal.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês