Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O dia em que Moro percebeu que Bolsonaro era mesmo… Bolsonaro

Ampliar a Lava-Jato e torná-la política de Estado foi a promessa de Bolsonaro na campanha -- puro estelionato eleitoral

Por Robson Bonin 30 nov 2021, 10h20

Já no fim de 2019, quando o centrão desfigurou a Lei Anticrime de Sergio Moro, o ex-juiz da Lava-Jato conseguiu finalmente entender que havia feito péssimo negócio ao deixar a magistratura para se abraçar a Jair Bolsonaro num falso combate à corrupção.

Na eleição, o presidente prometeu ao país não apenas ampliar a Lava-Jato, como torná-la política de Estado. Tudo, claro, no mais puro estelionato eleitoral. Diz Moro:

“Com aquela recusa do presidente em realizar os vetos solicitados (no Pacote Anticrime, minhas ilusões quanto ao real compromisso dele com o combate ao crime e à corrupção de desfizeram por completo”.

 

Continua após a publicidade

Publicidade