Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Noronha manda caso de sueco da propina para Justiça Eleitoral

Bo Hans Vilhelm Ljungberg foi denunciado no âmbito da Lava Jato por integrar esquema pagamentos ilícitos da Petrobras

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 3 dez 2021, 13h35 - Publicado em 3 dez 2021, 12h13

O ministro João Otávio de Noronha, do STJ, decidiu mandar o caso do sueco investigado pela Lava Jato para a Justiça Eleitoral. O caso estava com a 13ª Vara Federal de Curitiba.

Bo Hans Vilhelm Ljungberg foi denunciado pelo Ministério Público Federal em dezembro de 2018. Ele é acusado de integrar o esquema de pagamentos de propina a executivos da Petrobras por empresas que atuam na área de trading.

Segundo a decisão de Noronha, que atende a um recurso do executivo, a 13ª Vara Federal é incompetente para julgar a ação penal, uma vez que o caso gira em torno de condutas relacionadas a crime de falsidade ideológica eleitoral supostamente praticado por um dos envolvidos, o então deputado Cândido Vaccarezza, do PT.

O sueco, que responde pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa, é apontado pelas investigações como intermediador de pagamento de propinas em 2,8 milhões de dólares.

Continua após a publicidade

Publicidade