Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Não vou responder às ilações do Ciro Gomes, diz Lula

‘Ele deve ter falado algo que as pessoas não gostaram’, disse o petista sobre as vaias ao pedetista em manifestação da oposição em SP

Por Lucas Vettorazzo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 8 out 2021, 13h49 - Publicado em 8 out 2021, 13h45

O ex-presidente Lula avançou mais um pouco na sua relação nada amistosa com Ciro Gomes nesta sexta-feira, durante uma coletiva de imprensa em Brasília. Ao comentar sobre as vaias a Ciro disparadas por setores da esquerda na última manifestação pelo impeachment de Jair Bolsonaro em São Paulo e sobre a possibilidade de o campo progressista estar unido em 2022, Lula fustigou seu virtual concorrente em 2022 várias vezes, usando um tom que, se não menospreza a inteligência do interlocutor, foi no mínimo irônico. Ao mesmo tempo em que disse que não responderia às “ilações do Ciro”, Lula desferiu vários ataques contra o pedetista.

“Você em algum momento me viu criticar o Ciro Gomes?”, perguntou Lula ao jornalista, minutos depois de, em uma resposta anterior, ter se referido a ele como o “candidato que tem 2% nas pesquisas”. “Não faço [críticas a ele]. Eu acho normal [que ele me critique]. Se ele quiser disputar as eleições para ganhar, ele tem que criticar o Bolsonaro e criticar a mim porque senão ele não vai a lugar nenhum”, disse Lula. 

Lula disse que não responderia aos ataques e lembrou do tempo em que o pedetista integrou o seu governo. “Pode ficar certo que eu não vou, durante todo o processo de campanha, responder às ilações que o Ciro faz com relação a mim. O Ciro foi meu parceiro, me ajudou a governar. Se ele está falando o que está falando é porque ele acha que vai dar voto pra ele. Eu não vou responder”, disse. 

Lula cutucou ainda mais o pedetista, ao dizer que vaias e críticas são do jogo político e que Ciro não reage bem a nada que não seja aplauso. “Gente, só não foi vaiado neste país quem não subiu em palanque. Nós temos que gostar das vaias da mesma forma que a gente gosta dos aplausos. Você não pode fazer disso uma profissão de fé. Isso é democrático também”, afirmou o petista.  

Por fim, quase disse que Ciro mereceu o tratamento da militância progressista no ato. “O Ciro deve saber o que falou para mexer com aquelas pessoas. Ele deve ter falado algo que as pessoas não gostaram”, disse o petista.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.