Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Marcos Mion faz campanha por julgamento sobre planos de saúde no STJ

O apresentador, que tem um filho autista, quer que tribunal amplie o rol de tratamentos de cobertura obrigatória; julgamento ocorre nesta quarta

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 23 fev 2022, 12h13 - Publicado em 23 fev 2022, 12h12

O STJ retoma na tarde desta quarta um julgamento sobre o serviço dos planos de saúde que movimentou as redes nesta semana. Dois recursos em discussão no tribunal podem mudar a jurisprudência no país acerca da possibilidade de os planos serem obrigados ou não a cobrirem determinados tipos de terapias. O apresentador Marcos Mion, cujo filho é autista, foi às redes se posicionar a favor da ampliação da cobertura dos planos.

Os ministros vão decidir se as operadoras de saúde poderão rejeitar cobrir procedimentos que não estejam no chamado “rol da Agência Nacional de Saúde”. Esse rol é uma lista que indica quais são os tratamentos de cobertura obrigatória pelos planos.

Há um entendimento jurídico de que essa lista da ANS seria exemplificativa. Ou seja, ela indicaria algumas bases mas poderia ser extrapolada com outras terapias, tese apoiada por Mion. Outra linha de interpretação diz que o rol é taxativo. Ou seja, a lista teria que ser seguida à risca sem possibilidade de inclusão de tratamentos adicionais.

O julgamento começou em setembro do ano passado, mas foi paralisado por um pedido de vistas da ministra Nancy Andrighi. O relator dos recursos é o ministro Luis Felipe Salmão, que votou pela tese da lista taxativa.

“Tem um acontecimento amanhã que pode afetar milhões de autistas, de pessoas com deficiência, na verdade até você que depende dos planos de saúde”, disse Mion, em vídeo publicado na terça. “Dependendo do resultado desse julgamento vamos ter um aumento das negativas dos planos de saúde”.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)