Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘Gostaria muito de ser vice do Ciro’, diz Datena ao anunciar ida ao PSD

Apresentador vai deixar o PSL para se filiar ao partido de Gilberto Kassab; projeto do União Brasil não agradou ao âncora

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 2 nov 2021, 17h35 - Publicado em 2 nov 2021, 17h27

O apresentador José Luiz Datena confirmou há pouco no ar que deixará o PSL e irá se filiar ao PSD de Gilberto Kassab. Segundo Datena, o motivo é que a fusão entre o PSL e o DEM que resultará no União Brasil não o agradou. O âncora do Brasil Urgente da Band era cotado para ser um possível candidato da terceira via à presidente da República no ano que vem. Segundo ele explicou nesta terça-feira durante o quadro “papo de janela”– inserção do Brasil Urgente na programação do Melhor da Tarde–, ele está a disposição do que decidir Gilberto Kassab. O mais provável, diz o apresentador, é que ele tente se eleger senador por São Paulo, mas há uma possibilidade em discussão, que seria a de Datena ser vice na chapa de Ciro Gomes (PDT).

“Eu não me dei muito bem com a fusão [do PSL com o DEM]. Eu não gostei da fusão. Eu só fiquei sabendo quando ela já estava definida. Decidi sair e seguir o meu caminho. Eu gostaria muito de servir o Brasil como presidente ou como vice do Ciro, também de quem gosto muito. Posso ser vice do partido também”, disse ele. 

Datena disse que desde que decidiu se filiar ao PSL, em julho, que o plano inicial seria concorrer ao Senado. A ideia de lançá-lo como possível presidenciável teria sido da deputada Janaína Paschoal. O apresentador afirmou que um dia pretende ser eleito presidente, mas que o sonho pode esperar para depois do pleito de 2022. Ele reforçou que faz o que o partido decidir.

“Dessa vez eu confio que vou ser candidato mesmo. Farei aquilo que o partido definir. Por enquanto, o candidato a presidente do PSD é o Rodrigo Pacheco. Se quiserem que eu ajude o Pacheco, eu posso ajudar”, disse ele.

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês