Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Flávio Dino mantém afastamento de desembargadores do TRF-4 pelo CNJ

Ministro do STF rejeita pedido de liminar para suspender a punição e afirma ser “prudente” esperar decisão colegiada do órgão de controle da Justiça

Por Nicholas Shores Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 20 Maio 2024, 14h24 - Publicado em 20 Maio 2024, 14h06

O ministro Flávio Dino, do STF, rejeitou um pedido de liminar dos desembargadores federais Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz e Loraci Flores de Lima e manteve o ato do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que os afastou cautelarmente do exercício das funções no TRF-4.

“Entendo que é prudente manter os efeitos do ato impugnado pelo menos até a conclusão, pelo colegiado do CNJ, da deliberação acerca da abertura do processo administrativo disciplinar”, escreve Dino em decisão publicada nesta segunda-feira.

O afastamento dos desembargadores sucedeu a devassa que o corregedor nacional de Justiça, Luis Felipe Salomão, promoveu recentemente na 13ª Vara Federal de Curitiba e no TRF-4, responsáveis por julgar casos da Lava-Jato.

Para Dino, no contexto atual, em que o STF tem reconhecido “diversas nulidades” nos processos da Lava-Jato, deve haver “especial atenção” por parte do CNJ, e “a adoção de medidas acauteladoras que evitem novas nulidades processuais é importante”.

Continua após a publicidade

“Estas citadas nulidades, quando confirmadas, representam um grave problema administrativo, pois significam que – em tais casos – a máquina judiciária funcionou de modo inútil, consumindo quantias vultosas do erário, sem consecução do interesse público e sem resultado prático em favor da sociedade”, afirma o ministro.

Na decisão, Dino escreve que, depois da sessão de julgamento em que o CNJ concluir a análise sobre possível abertura de processo disciplinar contra os desembargadores, poderá reavaliar o pedido de liminar para revogar o afastamento e submetê-lo ao colegiado do STF.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.