Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Flávio Bolsonaro diz que governo está muito tranquilo com prisão de Milton

O senador disse ainda que o ex-ministro declarou que seu pai 'não tem absolutamente nada a ver com as suspeitas' contra ele

Por Gustavo Maia 22 jun 2022, 20h51

O senador Flávio Bolsonaro comentou há pouco a prisão de Milton Ribeiro e criticou a “clara tentativa [da oposição] de usar eleitoralmente esse fato em que há suspeita sobre o ex-ministro”, mas disse que o governo está “muito tranquilo”. O filho de Jair Bolsonaro aproveitou para tentar desviar o foco chamando o ex-presidente Lula, principal adversário do pai nas eleições desse ano, de “o maior ladrão desse país”.

“Olha a diferença de postura: enquanto o Bolsonaro afasta o ministro, a Polícia Federal faz a investigação isenta, independente, sem interferência, nos governos passados, como aconteceu no caso da Dilma, ela tenta promover o Lula a ministro para que ele não fosse preso por corrupção”, declarou o senador.

Na verdade, foi o ex-ministro da Educação que apresentou um pedido de demissão e foi exonerado “a pedido”, no fim de março. Bolsonaro, inclusive, disse dias depois que ele havia saído “temporariamente” do cargo.

Flávio então ensaiou uma defesa de Ribeiro, alegando que as investigações começaram a partir de uma denúncia do próprio ex-ministro à CGU. O esquema foi revelado em reportagens dos jornais O Estado de São Paulo e Folha de São Paulo.

“Então o governo está muito tranquilo, esperamos que as investigações aconteçam de uma forma isenta e que o ex-ministro Milton possa prestar os esclarecimentos, porque o que todos nós sabemos até agora é que foi o próprio ex-ministro quem denunciou à Controladoria-Geral da União que havia a suspeita de que algo errado pudesse estar acontecendo no seu ministério”, declarou.

“Foi o próprio ex-ministro que, em seu primeiro depoimento, colocou no papel que o presidente Bolsonaro não tem absolutamente nada a ver com as suspeitas que estão recaindo sobre ele nesse momento. Então estamos bastante tranquilos e pedimos aí que a justiça seja feita”, concluiu o primogênito do presidente, que coordena sua campanha à reeleição.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)