Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ex-secretário de Guedes critica aprovação da ‘PEC do calote’

Segundo Salim Mattar, ‘Brasil perdeu oportunidade de se posicionar como país sério’

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 4 nov 2021, 10h32 - Publicado em 4 nov 2021, 10h25

O empresário Salim Matar, ex-secretário especial de Desestatização e Privatização do Ministério da Economia de Paulo Guedes, criticou nesta quinta a aprovação na Câmara da PEC dos Precatórios, cujo objetivo é dar um calote em parte da dívida pública para abrir espaço para equacionar o pagamento do novo auxílio que o governo federal pretende lançar. A proposta de emenda à Constituição é vista por analistas como uma pedalada a ser adotada para que a União possa burlar o teto de gastos estabelecido em lei.

Mattar era responsável por tocar o programa de privatizações do governo federal, uma promessa de campanha de Jair Bolsonaro. Em agosto de 2020, o empresário fundador da locadora de carros Localiza pediu demissão do cargo por não ter conseguido levar adiante seu plano de venda de ativos estatais.

Pelas redes sociais, Mattar chamou a PEC dos Precatórios de “PEC do Calote” e disse que ainda há esperança de o quadro ser revertido em segunda votação. O empresário, contudo, observou que a maioria foi favorável ao projeto. Ele disse que com a votação na Câmara, o país perdeu a oportunidade de passar uma imagem de seriedade e responsabilidade com a questão fiscal.

Apesar de tudo, eu acredito no futuro do Brasil! A PEC do calote foi aprovada por 312 deputados mas 144 se posicionaram contra. Não são a maioria mas significa que podemos ter esperança. O Brasil perdeu mais uma oportunidade para se posicionar como um país sério”, disse.

 

Continua após a publicidade

Publicidade