Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Em greve, auditores da Receita usam carro de som contra Haddad na Fazenda

Categoria iniciou paralisação há duas semanas e está exibindo promessas do ministro da Fazenda e do presidente Lula na frente do ministério, em Brasília

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 6 dez 2023, 15h41 - Publicado em 6 dez 2023, 12h01

Em greve há duas semanas, auditores fiscais da Receita Federal colocaram um carro de som na frente do Ministério da Fazenda exibindo promessas do ministro Fernando Haddad e do presidente Lula para a categoria. A campanha da Unafisco Nacional foi lançada depois de os sindicatos rejeitarem proposta apresentada na semana passada pelo chefe da Receita, Robinson Barreirinhas, e também ocorre em outros locais de Brasília e em São Paulo.

Nesta quarta, Haddad cancelou a ida ao Rio, onde participaria de reunião do Mercosul, e decidiu ficar em Brasília por causa das negociações da agenda econômica no Congresso. O ministro conta com a aprovação de propostas de aumento de arrecadação e ajuste fiscal, em tramitação na Câmara e no Senado, para ajeitar as contas públicas para o próximo ano. Enquanto isso, o Carf está há duas semanas com os trabalhos parados.

O vídeo que está sendo repetido na frente do bloco P da Esplanada dos Ministérios começa com uma fala do ministro dizendo que quer “valorizar a carreira de auditor fiscal” e que “eles são muito importantes num país que se sonega tanto”. “Eles são muito importantes, eles precisam ser valorizados. Nós já vamos nos comprometer na primeira hora…”, complementa Haddad.

“Eu sou a favor de cumprir a lei. Se você fez um acordo lá atrás e fez uma lei prevendo, você tem que regulamentar. Então… se o acordo foi malfeito ou bem-feito, o acordo virou lei. Então, desde janeiro, eu tenho sensibilizado o ministério, e isso não é colocar uma categoria contra a outra. Isso é um erro. Isso é uma conquista dessa categoria de seis anos atrás. Nós estamos aqui reparando um problema causado nos últimos sete anos, que é um problema. Então eu tenho sensibilizado tanto a Casa Civil quanto o Ministério de Gestão de que é justo fazer essa reparação”, diz o ministro da Fazenda em outra declaração reproduzida pela entidade.

Continua após a publicidade

Na sequência, Lula aparece dizendo que “se você concorda com ele e você prometeu, então você tem que fazer”. “Você não pode prometer e não fazer. E eu acho que a coisa mais barata e mais eficaz é a gente cumprir aquilo que a gente promete”, diz o presidente.

Ao final do vídeo, o Unafisco diz que “o decreto com travas e limitação orçamentária não é cumprimento do acordo” e questiona: “Até quando o acordo de 2016 será descumprido?”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.