Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Em busca de bancada forte, Ciro filia ex-reitora da USP ao PDT

Suely Vilela comandou a universidade de 2006 a 2009; ela chegou com o PSB ao segundo turno nas últimas eleições à prefeitura de Ribeirão Preto

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 6 dez 2021, 12h49 - Publicado em 6 dez 2021, 12h35

Ciro Gomes sabe que precisa de cabos eleitorais fortes nos estados para ter alguma chance de se eleger presidente no ano que vem. Isso inclui não só governadores, mas deputados estaduais.

Em São Paulo, uma aposta do PDT é a ex-reitora da USP Suely Vilela. Professora da Faculdade de Ciências Farmacêuticas, ela comandou a maior universidade do país entre de 2006 e 2009. A ideia é que ela dispute a uma vaga na assembleia de São Paulo.

Suely chegou ao segundo turno da disputa à prefeitura de Ribeirão Preto no ano passado. Ela, que concorreu pelo PSB, teve cerca de 90.000 votos. Ciro Gomes e o cacique maior do PDT, Carlos Lupi, convenceram a ex-reitora a trocar o partido socialista pelo trabalhista.

Hoje o PDT tem apenas um representante na Alesp que tentará a reeleição no ano que vem: o deputado Marcio Nakashima, irmão da advogada Mércia Nakashima, morta em 2010 por um ex-namorado. Outros nomes de possíveis postulantes a deputados estaduais em SP ainda estão em discussão interna no partido.

Ciro e Lupi estarão em Ribeirão na próxima quarta para filiar a ex-reitora. O PDT já definiu que lançará dois nomes a deputados federais por São Paulo: Antonio Neto, presidente do partido na capital paulista, e Lincoln Fernandes, radialista e presidente da legenda em Ribeirão Preto.

 

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade