Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Eike Batista terá em breve mais problemas no STF

Empresário fechou delação com a PGR, mas o dinheiro que ele quer usar para pagar a multa está na mira de credores de suas empresas

Por Robson Bonin Atualizado em 27 nov 2021, 17h58 - Publicado em 27 nov 2021, 17h57

Credores de Eike Batista vão acionar o STF para travar o pagamento da multa de 800 milhões de reais da delação do empresário. A primeira parcela de 200 milhões de reais já venceu.

O empresário quer usar o dinheiro obtido com uma debênture, ou título de dívida, emitida pela mineradora britânica Anglo American como parte da operação de venda do complexo Minas-Rio da MMX à multinacional em 2008, um negócio de 5,5 bilhões de dólares.

O papel, que surgiu a partir de uma investigação solicitada por uma gestora de investimentos, tem valor estimado em cerca de 200 milhões de dólares e estava sob posse de um fundo pertencente a Eike e que até então era desconhecido, o NB4.

Todo o enrosco que envolve Eike foi explicado por VEJA em agosto, por Felipe Mendes.

Continua após a publicidade

Publicidade