Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Diferentemente de Bolsonaro, Datena é contra privatizar a Petrobras

Apresentador pode ser candidato ao Senado na chapa de Tarcísio; ele diz que novas altas dos combustíveis podem gerar 'convulsão social' no país

Por Lucas Vettorazzo 12 Maio 2022, 11h08

O apresentador José Luiz Datena (PSC) está em conversas para ser o candidato ao Senado na chapa que terá Tarcísio de Freitas (Republicanos) como postulante ao governo de São Paulo com o apoio de Jair Bolsonaro.

Apesar da aliança com o bolsonarismo, que hoje defende a privatização da Petrobras, Datena é contra vender a estatal ao setor privado. Ele disse nesta quinta, durante seu programa matinal na Rádio Bandeirantes, que a empresa é estratégica para a segurança nacional e que sua possível venda deixaria o país ainda mais refém das altas dos combustíveis, sobretudo se a estatal passar às mãos de empresas estrangeiras.

“Não pode privatizar a Petrobras, eu acho. Entregar esse capital de segurança nacional na mão de gringo e ai o gringo vai deitar e rolar quando ele quiser aumentar o petróleo pra caramba. E ainda por cima nós vamos ficar cada vez mais na mão do gringo. Se o gringo comprar o país todo nós estamos ferrados”, disse.

Datena defendeu a criação pelos estados e pelo governo federal de subsídios aos combustíveis como mecanismos para amortecer as sequentes altas de preço que penalizam sobretudo os mais pobres. Ele se disse preocupado com uma possível “convulsão social” em caso de novos aumentos do preço da gasolina, do diesel, do gás de cozinha e do álcool.

“Porque eu vou te dizer uma coisa: não dá para aumentar mais porcaria nenhuma. Se o cara aumentar uma azeitona, corre o risco de uma convulsão social neste país. E ai não precisa falar em tanque, em dar golpe. Golpe é a fome do povo, velho. Democracia nossa nunca teve tão em risco por causa da fome que estamos passando”, afirmou.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês