Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Deputado do PT pede investigação contra Bolsonaro por escândalo no MEC

Reginaldo Lopes apresentou notícia-crime ao STF solicitando que Corte intime Procuradoria-Geral da República a apurar condutas do presidente

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 22 jun 2022, 19h10 - Publicado em 22 jun 2022, 18h54

O líder do PT na Câmara, deputado Reginaldo Lopes (MG), apresentou uma notícia-crime junto ao STF pedindo a abertura de investigação contra Jair Bolsonaro (PL) por suposto envolvimento do presidente no esquema de liberação de verbas no Ministério da Educação.

Lopes pede, no documento, que a Corte intime a Procuradoria-Geral da República a instaurar um procedimento investigatório, com objetivo de apurar as “condutas e responsabilidades criminais” de Bolsonaro.

O deputado citou as reportagens da Folha de S.Paulo que revelaram o caso e as investigações da Polícia Federal contra o ex-ministro Milton Ribeiro, preso preventivamente nesta quarta-feira.

Todas as informações colhidas e apresentadas, justifica Lopes, apontam para o conhecimento e a participação de Bolsonaro no esquema.

“Os pastores Gilmar Santos e Arilson Moura estariam a assessorar, numa espécie de gabinete paralelo que exerceria de fato o comando da pasta, mesmo sem ocuparem qualquer cargo público, o ex-ministro da Educação, sendo estes os interlocutores do Presidente Bolsonaro para o segmento evangélico e os responsáveis por fazerem a indicação das prefeituras que deveriam ser contempladas com as verbas públicas”, diz trecho da petição.

O parlamentar ainda cita trechos dos áudios divulgados, nos quais Ribeiro diz que sua “segunda prioridade” era atender a “todos os amigos do pastor Gilmar” — que falava em nome de Bolsonaro — e que o presidente receberia o apoio das igrejas em seu projeto eleitoral de reeleição, em troca das verbas liberadas pelo MEC aos prefeitos aliados.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)